Cólica menstrual forte é perigoso? Entenda!

6 minutos para ler

A cólica menstrual forte deixa a mulher incapaz de trabalhar e até de realizar as pequenas tarefas diárias. Essa dor não pode ser encarada como normal, e deve ser investigada detalhadamente por um ginecologista. Isso porque doenças inflamatórias no útero, como a endometriose, podem ser causadoras desse mal. Mas existem outros fatores que podem provocar dores fortes.

Normalmente, essa doença feminina está ligada a contrações musculares do útero durante o período menstrual. As cólicas podem causar dor ou não, de acordo com o organismo de cada mulher — nem todas sentem cólicas.

Ela é comum e tende a ser mais intensa nos primeiros dias do ciclo menstrual. Mas, quando a dor impede a mulher de realizar suas atividades, um médico deve ser consultado para descobrir sua origem.

Neste artigo, vamos falar sobre as principais causas e como prevenir as cólicas menstruais. Entenda mais!

Por que acontece a cólica menstrual?

O quadro de cólica menstrual acontece com todas as mulheres, mas em intensidades diferentes. Os primeiros dias da menstruação são marcados por desconfortos, como inchaço nas mamas, dores de cabeça e cólicas. Raras são as pessoas que não sentem nenhum tipo de sintoma, pelo menos alguns dias durante esse período.

A menstruação é um fenômeno fisiológico que provoca um grau de inflamação no músculo do útero, causando a dor menstrual, conhecida como dismenorréia. Ela está associada aos níveis de prostaglandinas no organismo, que é um sinal químico das células sobre o fluxo de sangue, inflamações e presença de coágulos.

As cólicas menstruais podem ser classificas em:

  • dismenorréia primária: quando os níveis de prostaglandinas estão muito altos provocam as contrações uterinas;
  • dismenorréia secundária: é provocada por outros fatores, como a presença de tumores na região, cistos, miomas, inflamações pélvicas ou qualquer tipo de doença.

É possível prevenir ou aliviar as cólicas menstruais?

Nos casos em que as cólicas menstruais são muito intensas, a ponto de impedir que a mulher tenha uma vida normal durante seu ciclo, tratar as causas da dor é fundamental para saúde e bem-estar.

No geral, todos os métodos para aliviar as cólicas menstruais reduzem a inflamação, limitam a produção de prostaglandina, bloqueiam a dor, além de elevar o fluxo de sangue no útero e tratar possíveis doenças, como a endometriose. Mas algumas mudanças de hábito podem ajudar a prevenir e aliviar as dores no período menstrual:

  • tenha uma dieta saudável e balanceada;
  • insira suplementação para cólicas menstruais, como o gengibre, magnésio, zinco e vitaminas;
  • alivie o estresse e busque fazer atividades relaxantes e que estimulem a quietação da mente;
  • pare de fumar;
  • pratique atividades físicas regularmente;
  • tenha uma rotina de autocuidado.

Além disso, o uso de medicamentos, como anti-inflamatórios e analgésicos, é uma maneira eficaz de conseguir aliviar as cólicas menstruais. Em alguns casos, a utilização de contraceptivos hormonais também é indicada pelos médicos para prevenir as dores.

Chá para aliviar cólica pode ser recomendado para o período menstrual. Alguns tem função anti-inflamatória, calmante e antiespasmódica. Chás de camomila, canela, gengibre, orégano e calêndula tendem a diminuir as dores, oferecendo mais conforto e bem-estar para a mulher.

Quais são as principais causas da cólica menstrual forte?

Na maioria das vezes, cólicas muito fortes têm algum motivo de origem, que deve ser investigado minuciosamente por um médico ginecologista. A melhor forma de diagnosticar as causas dessas dores incômodas é realizar exames, como o ultrassom transvaginal, capaz de detectar as principais origens da cólica forte.

Endometriose

Essa é a causa mais comum das cólicas menstruais muito intensas. Um dos sintomas da endometriose é quando a mulher nunca sentiu cólicas e, de repente, começou a apresentar um quadro de dores frequentes e fortes.

Outro alerta para essa doença ocorre quando a mulher sempre sentiu desconfortos abdominais durante o período menstrual, porém, em algum momento, essa dor se tornou mais intensa. O tratamento consiste no uso de hormônios e, em alguns casos, é preciso intervenção cirúrgica.

Adenomiose

A adenomiose é muito comum em mulheres acima dos 35 anos e ocorre quando o tecido endometrial penetra no miométrio. Entre os sintomas, estão cólica endometrial, alto nível de sangramento, infertilidade, sensação de peso, inchaço abdominal e o útero pode ter seu tamanho alterado.

O tratamento é à base de hormônios e, quando necessário, a cirurgia mais comum a ser realizada é a histerectomia.

Mioma submucoso

Ocorre quando um nódulo de mioma penetra, parcial ou completamente, dentro do endométrio. Os sintomas mais comuns são o aumento do sangramento e a cólica forte.

Outro diagnóstico menos frequente é o mioma parido, que causa os mesmos sintomas do submucoso, mas acontece com miomas que estão dentro do endométrio e são eliminados do útero a partir do colo uterino. A cirurgia para a retirada de qualquer um dos dois miomas é o mais indicado pelos médicos.

Abortamento

O abortamento espontâneo é muito comum, pode acontecer nos primeiros meses e causar cólicas fortes. Geralmente, ocorre o atraso menstrual de alguns dias por causa da gravidez e, em seguida, vem a “menstruação”, com aumento do sangramento e as dores abdominais fortes.

Idiopática

Existem muitos motivos que levam ao surgimento das cólicas menstruais. Etiologias ginecológicas, gastrointestinais, urológicas, vasculares, musculares e ortopédicas são algumas das razões do aparecimento das dores pélvicas. Mas, quando todas essas alternativas são descartadas pelos médicos, a cólica menstrual é chamada de idiopática.

Quando buscar ajuda médica?

Grande parte das mulheres sentem cólicas durante o período menstrual. Mas, quando esse desconforto se torna muito intenso, não é amenizado com analgésicos e afeta a rotina, a ponto de impedir a mulher de desenvolver suas atividades diárias, é hora de procurar ajuda profissional.

O ginecologista também deve ser consultado quando essas dores surgirem repentinamente, intensas, em excesso ou se estenderem por muitos dias.

Portanto, a cólica menstrual forte pode ser sintoma de algumas doenças inflamatórias. Quanto antes forem descobertas, mais eficiente será o tratamento. Por isso, essas dores devem ser minuciosamente investigadas por meio de exames prescritos por ginecologistas. Além disso, manter uma alimentação saudável, beber bastante água e ter uma rotina de atividades físicas pode ajudar a prevenir as dores, melhorando a qualidade de vida da mulher.

O AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil. Entre em contato conosco e conheça nossas especialidades!

Posts relacionados

Deixe um comentário