dieta para hipertenso dieta para hipertenso

Dieta para hipertensão: alimentos que você deve consumir ou evitar

9 minutos para ler

A hipertensão arterial sistêmica (HAS), conhecida popularmente como pressão alta, é bastante comum entre os brasileiros. Quando recebemos o diagnóstico de uma doença, procuramos amenizá-la de muitas formas. A dieta para hipertenso, junto ao remédio, faz parte do tratamento da HAS.

A pressão alta chega a atingir cerca de 25% da população brasileira. Isso se deve, muitas vezes, ao fato de que a patologia é silenciosa, ou seja, geralmente não tem sinais ou sintomas na pessoa afetada.

O único achado ocorre no exame físico, quando um enfermeiro ou médico afere a pressão arterial com a técnica adequada. Valores acima de 140×90 mmHg, medidos em duas ocasiões diferentes, configuram a hipertensão. Em grande parte dos casos, a pessoa descobre a pressão alta quando se consulta por outro motivo.

Para aqueles que já são portadores de HAS, é preciso realizar o controle. Um dos pilares do tratamento é a alimentação, pois existem alimentos negativos e positivos para tratar a doença.

Para ajudar você a entender quais são eles, separamos, neste artigo, quais devem ser consumidos e o que retirar da dieta para manter os níveis da pressão arterial controlados. Acompanhe a leitura!

Quais alimentos devem ser incluídos em uma dieta para hipertenso?

Manter a pressão alta por muito tempo é bastante perigoso para a saúde. Isso porque o sangue, ao circular com muita força no sistema circulatório, causa doenças cardíacas e propicia o aparecimento de eventos perigosos para a saúde, como o infarto e o AVE —Acidente Vascular Encefálico.

Sendo assim, é muito importante prevenir o seu aparecimento ou controlar os níveis de colesterol e sódio no sangue. A alimentação é uma grande aliada tanto para prevenção quanto para o controle de quem já é diagnosticado com essa doença. Confira, abaixo!

Frutas

As frutas são ótimas opções para manter a alimentação saudável. Afinal, são ricas em bons nutrientes, vitaminas e antioxidantes. Além disso, algumas contêm boa oferta de potássio, o que é importante para regular a pressão arterial.

O sódio e o potássio são essenciais para a contração muscular, o que mantém o ritmo cardíaco normal. O potássio, por exemplo, exerce um efeito positivo no tônus dos vasos, regulando a pressão arterial. Além disso, outra função do sódio é atuar na retenção de líquidos, enquanto o potássio age na excreção da água.

A união dos dois promove o equilíbrio da quantidade de líquidos no organismo. Isso é fundamental para a manutenção da pressão arterial, uma vez que o sódio atua aumentando a pressão. Alguns exemplos de frutas com alto teor de potássio são:

  • banana;
  • abacate;
  • uva-passa;
  • melancia;
  • tâmaras;
  • laranja;
  • abacaxi;
  • melão.

Frutas vermelhas, como o morango, o mirtilo, a amora e a framboesa, têm um pigmento chamado antocianina, o que confere a sua cor. Sua função antioxidante ajuda a aumentar o bom colesterol, favorecendo a circulação e o controle da pressão arterial.

Legumes, grãos e alimentos integrais

Alimentos integrais e legumes são ricos em fibras. Além de ser importantes para a regulação do trânsito intestinal, elas atuam reduzindo significativamente a pressão arterial em pacientes hipertensos, por meio de um mecanismo que ainda não é totalmente conhecido.

No entanto, acredita-se que os benefícios estão relacionados com o controle do peso, visto que o consumo de fibras sacia e melhora a sensibilidade à insulina. O alto teor delas também é capaz de reduzir a absorção das gorduras pelo organismo, o que favorece o equilíbrio entre o bom colesterol (HDL) e o mal.

Alguns alimentos que impactam diretamente a pressão arterial:

  • alho: pode ser utilizado como tempero ou consumido em forma de suplementação. Rico vitamina C, tem poder antioxidante e atua na diminuição de radicais livres;
  • beterraba: pode ser consumida em sucos, saladas ou cozidas;
  • couve: por meio dos seus antioxidantes, ela é capaz de reduzir a inflamação nas artérias, coração e rins. Ela aparece em saladas e até em sucos verdes;
  • feijão: fonte de ferro, cálcio, proteína, fósforo etc. Pode ser preparado na dieta para hipertensos com temperos naturais, como o alho, cebola e louro verde;

Leite e derivados

O leite e seus derivados são ótimas fontes de cálcio. Esse mineral atua auxiliando a contração da musculatura das artérias, o que melhora as condições do tônus vascular, ou seja, ele funciona como hipotensor. Portanto, o cálcio tem importante papel no controle da pressão arterial, sendo recomendadas as opções desnatadas e com baixo teor de gordura.

Peixes e carnes magras

Existem peixes rotulados de gordos e de magros. Os peixes gordos são ricos em um tipo de gordura que é classificada como boa. O ômega 3, um exemplo desse tipo de gordura, atua na proteção cardiovascular e do cérebro. Então, os peixes são alimentos bons para o coração.

Já os peixes e carnes magras são ótimas opções de proteínas na alimentação, visto que oferecem o que é necessário para ter energia, mas sem o risco do acúmulo de gordura na parede das artérias. A aterosclerose, fenômeno em que as partículas de gordura grudam na parede das artérias, deixando-as rígidas e com o lúmen estreito, propicia o aumento da pressão arterial.

Ervas

A natureza nos fornece uma série de temperos naturais, como salsinha, cebolinha, coentro, alecrim, manjericão, sálvia, louro e tomilho. Elas dão sabor ao preparo dos alimentos, reduzindo a necessidade do sal.

Ainda, têm ações antioxidantes, anti-inflamatórias, calmantes, cicatrizantes e antibióticas. Dessa forma. proporcionam um equilíbrio ao nosso corpo.

Aveia

Rica em fibras e proteínas, a aveia oferece uma maior saciedade quando adicionada à dieta para hipertensos. Isso evita aquelas “beliscadas” entre as refeições, o que diminui o nível de açúcar e colesterol no sangue.

Quais alimentos podem descontrolar a pressão arterial?

Alguns alimentos podem ser considerados vilões das dietas para hipertensos. Vejamos!

Alimentos ricos em sal

É fundamental que pessoas hipertensas reduzam a quantidade de sal (cloreto de sódio) na dieta. Isso porque, ao entrar na corrente sanguínea, essa substância retém água, gerando acúmulo de líquidos dentro dos vasos. Dessa forma, há aumento da pressão arterial.

No momento de temperar a comida, é indicado dar preferência para temperos naturais ou para o sal diet. Esse produto contém uma boa quantidade de cloreto de potássio, o que equilibra os níveis de sódio.

Carnes processadas

Linguiça, salsicha, bacon e salame são exemplos de carnes processadas que devem ser evitadas pelos hipertensos. Esses tipos de alimentos são fabricados com a adição de açúcar, sal e de outras substâncias, a fim de torná-los mais duráveis e agradáveis para o consumo. Quanto mais processado um produto é, mais ele perde suas características nutritivas e se torna danoso, ou seja, um perigo para a saúde.

Macarrão instantâneo

O macarrão instantâneo é prejudicial à saúde, visto que tem altas quantidades de glutamato monossódico e de sódio. Esse é um aditivo alimentar usado amplamente para melhorar o sabor dos alimentos que são industrializados.

Além disso, esse alimento tem grande quantidade de gordura (16g em 85g de macarrão, o que corresponde a cerca de 30% da recomendação diária de gordura).

Alimentos ultraprocessados em geral

Alimentos e temperos comprados prontos não são indicados no controle da pressão arterial. Isso porque esse tipo de produto tem grandes quantidades de conservantes e de sal, para preservar e aguçar o sabor da comida. Como exemplos, podemos citar os tabletes de caldo de carne (ou legumes) para temperos, refrigerantes, molho de soja ou shoyu e sucos de caixinha.

Álcool

Algumas doenças cardiovasculares vêm sendo relacionadas ao consumo de mais de dois drinques diários de álcool. Para os hipertensos, preferencialmente, deve-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, pois quando tomadas em grande quantidade, elas podem desregular o controle do medicamento. Além de desbalancear a dieta, já que uma garrafa de cerveja de 600 ml tem 300 calorias.

Qual as porções de alimentos diárias?

dieta para hipertenso

O adequado é procurar um profissional da área para estabelecer um plano alimentar personalizado. De uma forma geral, as quantidades diárias desse tipo dieta para hipertensos são:

  • proteínas (carnes magras, peixe ou frango) — 2 porções;
  • grãos integrais e cereais — 6 a 8 porções;
  • verduras, legumes e frutas — 8 a 10 porções;
  • leite e derivados — 3 porções;
  • oleaginosas (nozes e castanhas) — 1 porção.

Por que os hipertensos devem procurar um nutricionista?

O nutricionista é o profissional que pode orientar sua rotina alimentícia, adequando um cardápio às necessidades do seu organismo. Por meio de uma avaliação corporal e exames sanguíneos, ele mede seus índices e proporções corpóreas.

A busca de um nutricionista também auxilia na perda ou ganho de peso de forma mais saudável, pois a elaboração de um plano alimentar calcula a ingestão calórica diária total do seu próprio organismo, ou seja, é desenvolvido para atender às suas necessidades nutricionais de acordo com a sua rotina.

Portanto, um nutricionista pode indicar uma dieta para hipertenso mais personalizada, priorizando as necessidades de cada pessoa. A alimentação adequada ao paciente com hipertensão é fundamental para redução dos sintomas e manter a qualidade de vida.

Os portadores de HAS, além desse cuidado alimentar, precisam ter ainda mais atenção com a sua saúde, realizando exames e consultas de rotina para verificar se não há lesões decorrentes da doença.

Então, entendeu como os alimentos podem ter impacto positivo e negativo no controle da pressão arterial? Gostou do post? Siga o AmorSaude no Facebook, Instagram e YouTube e fique por dentro de mais artigos como este!

Posts relacionados

Deixe um comentário