banner_blog_abril
nimesulida nimesulida

Nimesulida: o que é e como tomar de forma segura?

12 minutos para ler

A nimesulida é um fármaco disponibilizado em diversas farmácias e drogarias do Brasil, indicado para pacientes que almejam tratar sintomas como dor de dente, cólica menstrual, cálculo renal e dores nas articulações.

Mesmo que se trate de um medicamento encontrado com facilidade na indústria farmacêutica brasileira, é extremamente importante se atentar ao seu modo de uso, posologia e contraindicações, tendo em vista que a medicação costuma apresentar um grande índice de efeitos colaterais, desde as mais simples até as mais complexas.

Saiba aqui o que é nimesulida, para que serve, como tomar, tempo de ação, efeitos colaterais, contraindicações e preço:

O que é a nimesulida?

Muitas pessoas se perguntam se a nimesulida é antibiótico, porém, pertence a classe de medicamento anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), que tem ações analgésicas e antipiréticas, atuando exclusivamente na amenização de sintomas como inflamação de vias aéreas, febre ou dores leves a moderadas, como a dor de ouvido, cefaleia e dores nas articulações.

O medicamento pode ser encontrado em farmácias ou drogarias na forma de comprimidos, dispersíveis ou granulado, cápsulas, soluções em gotas, pomada, gel dermatológico e supositório. 

Inclusive, quando a nimesulida genérico está na forma pomada ou gel pode ser usada para melhorar sensações de dor em tendões, ligamentos, músculos e articulações, que se manifestam depois de um trauma, como é o caso de torção, contusão e distensão.

O fármaco deve ser usado somente em adultos ou crianças maiores de 12 anos de idade com prescrição médica.

Nomes comerciais

A nimesulida está disponível no mercado com o nome comercial Nisulid, na forma genérica (nimesulida) ou com os principais nomes similares como Cimelid (Cimed), Nimesilam, Neosulida, Nimelit, Nisoflan e Deltaflan, por exemplo. Independentemente de como é encontrado, as indicações do remédio continuam as mesmas.

Nimesulida para que serve?

Quando falamos nesse remédio, uma das principais questões que vem à tona é se nimesulida serve para dor de dente. O fármaco não só atende pacientes que passaram por procedimentos odontológicos e estão enfrentando sintomas como as dores e desconfortos, como também contém outras indicações. 

Entre as indicações de maior evidência da nimesulida, estão:

  • Cefaleia (dor de cabeça);
  • Otites (dor de ouvido);
  • Dor de garganta;
  • Amigdalites ou faringites;
  • Dor nas articulações;
  • Cólica menstrual;
  • Febre;
  • Sinusite aguda;
  • Cálculo renal;
  • Gota.

Nimesulida precisa de receita?

A nimesulida é uma medicação de tarja vermelha, remédios que oferecem riscos intermediários de complicações aos pacientes e devem ser prescritos por um médico, ao contrário de demais analgésicos. 

Então, sim, a nimesulida precisa de receita e deve ser administrada com cuidado e instruções de um médico.

Nimesulida como tomar

Nimesulida como tomar?

A dosagem da nimesulida varia conforme as instruções do profissional de saúde. De modo geral, o medicamento é usado durante 5 a 7 dias, não devendo ser ultrapassado 15 dias. O uso prolongado do remédio, que também pode acontecer com qualquer outro anti-inflamatório, é capaz de acarretar maiores complicações indesejáveis, tais como úlcera péptica e insuficiência renal.

Caso os sintomas não cessem, é aconselhável marcar outra consulta com o médico responsável pelo caso, visando definir qual o melhor tratamento a ser seguido a partir dessa incidência.

No caso da aplicação de nimesulida em creme, não é recomendado enxaguar o local, sendo importante higienizar as mãos depois do uso.

A seguir, está o modo de utilização do fármaco de acordo com as formas de apresentação.

Comprimidos de 50 a 100 mg: ½ a 1 comprimido por via oral, de 12 em 12 horas;

Comprimidos dispersíveis ou granulado de 100 mg: dissolver 1 comprimido ou o granulado em torno de 100 mL de água, e tomar por via oral de 12 em 12 horas;

Cápsulas de 200 mg: 1 cápsula por via oral, uma vez ao dia;

Solução em gotas de 50 mg/mL: 1 gota por cada kg de peso corporal, de 12 em 12 horas;

Supositório: 1 supositório de 100 mg por via retal, de 12 em 12 horas;

Pomada e gel dermatológico: deve ser aplicada uma fina camada sobre a pele no local a ser tratado, 2 vezes ao dia.

Quais são os riscos da automedicação?

No Brasil, a nimesulida é vendida sob prescrição médica, mas ainda há pessoas que praticam a automedicação, devido a fatores como a precariedade do sistema de saúde, dificuldade de assistência médica, venda livre e indiscriminada de medicamentos, cultura de comodidade associada ao consumo de produtos farmacêuticos e falta de fiscalização na venda de fármacos prescritos.

A automedicação nada mais é do que o nome que se dá para o ato de tomar medicamentos por conta própria, sem as devidas instruções de profissionais de saúde. 

Na maioria das vezes, a atitude é vista por muitos pacientes como a melhor ação a ser seguida para a amenização de sensações desagradáveis, mas contém a capacidade de trazer consequências ainda mais abrasivas. 

Entendemos como a ansiedade para sanar logo de uma vez os problemas de forma rápida é grande, e apesar da prática ser muito comum entre brasileiros, o seu segmento não é correto.

Se medicar por conta própria tem a capacidade de até mesmo piorar o quadro de uma doença, já que a administração incorreta tem o poder de esconder sensações específicas, além de que a junção inadequada de fármacos consegue anular ou potencializar o efeito de um dos remédios.

Portanto, pode-se perceber que a utilização de remédios de modo irracional não deve ser feita independente da situação, em razão das complicações que acarreta, como reações alérgicas, dependência, estado de coma e morte. 

O que fazer quando esquecer de tomar o remédio? 

Em caso de esquecimento da administração de nimesulida no horário correto é indicado tomar assim que lembrar. Vale ressaltar que, a recomendação serve para comprimidos, dispersíveis ou granulado, cápsulas e solução em gotas. 

No entanto, quando a hora da próxima dose estiver próxima, deve-se aguardar o momento devido e pular a dose esquecida. Em hipótese nenhuma se deve tomar comprimidos ou demais administrações em dobro para compensar o esquecimento. O melhor passo a ser feito é reiniciar o medicamento.  

Os pacientes que costumam esquecer de tomar a nimesulida de maneira recorrente devem usufruir do uso de alarmes para se lembrarem, utilizando o remédio de acordo com as orientações do profissional de saúde. 

Quanto tempo nimesulida faz efeito

Quanto tempo nimesulida faz efeito?

O medicamento atua no organismo de maneira precisa e ligeira. Os benefícios são entregues ao paciente independente da forma de administração, bloqueando os processos orgânicos responsáveis pelo incômodo e inflamação. 

Então, a apresentação é ligeiramente absorvida e disseminada pelos tecidos, até que atinja o alvo e ative o metabolismo da droga, dependendo da contribuição da via renal para a eliminação total. Sendo assim, não restam dúvidas que o nimesulida funciona. 

O tempo de espera para que o nimesulida faça efeito é, em média, 15 minutos para o alívio dos sintomas de dor e desconfortos, entretanto, pode necessitar de um espaço de tempo maior, variando entre 30 minutos até 1 a 2 horas, especialmente em casos de febre. A duração dos efeitos atingem, no mínimo, 12 horas. 

Quais são os efeitos colaterais do remédio? 

A nimesulida provoca reações adversas em alguns pacientes durante o tratamento, especialmente diarreia, náuseas ou vômitos, mas pode causar também queda abrupta de pressão arterial, urticária, ardor, vermelhidão e falta de ar. 

Efeitos colaterais específicos como o prurido, edema, inchaço nos olhos ou nos lábios, sudorese excessiva (hiperidrose), prisão de ventre, aumento dos gases intestinais, gastrite, tonturas, vertigens ou aumento repentino da pressão arterial, são considerados raros mas podem se manifestar em determinados casos.

Outra reação adversa incomum é a sonolência, sendo indispensável procurar novamente o profissional de saúde responsável pelo caso e estabelecer uma comunicação honesta em caso de ocorrência. É importante relatar também a presença de outros sintomas suspeitos, além de suspender a medicação. 

Contraindicações

As pacientes gestantes ou que já possuem filhos e apresentam sintomas como dor de cabeça, febre, cólica ou sinusite aguda, por exemplo, costumam se questionar se grávidas podem tomar nimesulida ou se existe nimesulida infantil. Porém, é de extrema importância que o medicamento não seja administrado em crianças menores de 12 anos e mulheres grávidas ou em fase de amamentação.

Além de que, existem outras contraindicações do fármaco, que consistem em:

  • Pacientes com úlcera no estômago;
  • Pacientes com hemorragia ou sangramento no trato gastrointestinal;
  • Pacientes com problemas circulatórios;
  • Pacientes com insuficiência cardíaca, renal ou hepática grave;
  • Pacientes com asma, rinite, pólipos nasais e urticária causados ou agravados pela utilização de ácido acetilsalicílico (AAS);
  • Pacientes com alergia à nimesulida e demais anti-inflamatórios não esteróides como ácido acetilsalicílico, ibuprofeno ou naproxeno, por exemplo.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) determinou que a nimesulida não deve ser usada para o tratamento de problemas osteoarticulares crônicos que necessitam do uso prolongado de anti-inflamatórios. 

Afinal, quanto maior for o período de utilização da medicação, maiores serão as chances de conter reações adversas abrasivas, especialmente de lesão hepática, que apesar de rara foi confirmada em diversos estudos.  

Portanto, nenhuma patologia que tenha como urgência o tratamento com analgésicos ou anti-inflamatórios de maneira recorrente devem ser tratadas com nimesulida, como é o caso de artrite reumatóide, osteoartrite (artrose), pericardite aguda e outros processos musculares que precisam de mais de duas semanas de tratamento com AINE.

De qualquer forma, especialistas não aconselham utilizar o medicamento em hipótese nenhuma, visto que há no mercado farmacológico inúmeros anti-inflamatórios que não provocam um alto risco de lesão hepática e apresentam o mesmo efeito almejado. 

Desse modo, não é necessário colocar a saúde em risco para adquirir os benefícios da administração de nimesulida, à vista de que existe uma gama de medicações anti-inflamatórias não esteroidal, analgésicas e antipiréticas capazes de atender a expectativa.

Qual o motivo da proibição da nimesulida em alguns países

Qual o motivo da proibição da nimesulida em alguns países?

A nimesulida foi lançada em 1985 e, desde então, passou a ser usada em mais de 50 países, todavia, o uso do medicamento é capaz de apresentar complicações tóxicas à qualidade de vida, sendo uma preocupação frequente para os órgãos mundiais da saúde. 

Devido a veracidade de estudos científicos que apontaram a existência da toxicidade hepática ou renal, o seu uso é suspenso em países como o Reino Unido, Alemanha, Canadá, Estados Unidos, Japão, Espanha, Finlândia, Irlanda, Bélgica, Dinamarca, Holanda e Suécia.

A partir deste apontamento, a nimesulida segue sendo observada e determinadas autoridades sanitárias definiram um tempo máximo de consumo, contraindicações e interações medicamentosas. 

Mesmo que o Brasil nunca tenha apresentado esse efeito colateral, ainda é necessário manter os cuidados indicados por especialistas de saúde, a fim de prevenir maiores danos e garantir a segurança dos pacientes.

Nimesulida superdosagem

Administrar a nimesulida de forma inadequada pode trazer consequências em curto e longo prazo. Geralmente, os pacientes que passam por situações de superdosagem enfrentam reações adversas como a letargia, sonolência, náusea, vômito, dores, tontura, sangramento gastrintestinal, aumento recorrente da pressão arterial, insuficiência renal e coma em casos mais agravados. 

É importante enfatizar que a superdosagem também pode ocorrer por acidente, quando os indivíduos utilizam duas medicações com a mesma substância. Por essa razão, ao realizar o tratamento com nimesulida é essencial ler e analisar a bula com a devida atenção. 

Fora que, é rigorosamente crucial acompanhar os efeitos colaterais com atenção, procurando um pronto socorro em casos de emergência e sempre que houver necessidade. O uso do fármaco deve ser informado no momento do atendimento, para que o especialista esteja ciente de toda a situação e defina quais procedimentos serão seguidos.

Não há nenhum tipo de antídoto (medicamento ou produto químico que opõem as reações adversas) para essa medicação. A medida adotada para reverter a situação abrasiva consiste na lavagem gástrica, seguida de monitoramento das funções renais e hepáticas. Após o acontecimento, o paciente deve manter acompanhamento médico visando cuidar melhor da saúde como um todo. 

Nimesulida preço

O preço da nimesulida varia conforme a forma de apresentação que o remédio se encontra. Fora isso, os valores costumam oscilar de forma constante dependendo da marca e da farmácia ou drogaria. 

Normalmente, os valores disponibilizados no mercado variam entre R$2,00 (dois reais) até mais de R$30,00 (trinta reais).

É fundamental exercer a pesquisa de preço antes de comprar e se atentar a validade do produto. Inclusive, alguns fármacos costumam demonstrar custos mais acessíveis quando estão perto da data de vencimento.

Lembrando que, não é recomendado em hipótese nenhuma utilizar a medicação sem a instrução de um profissional de saúde.

A AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil, oferecendo diversas especialidades como cardiologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia.

Se você gostou deste conteúdo e deseja investir mais na sua saúde, agende já sua consulta conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário