pintas no corpo pintas no corpo

Quando é preciso se preocupar com o surgimento de pintas no corpo?

7 minutos para ler

Muitas vezes, pintas no corpo, mesmo charmosas, podem indicar algum tipo de câncer. Por isso, conhecer e monitorar a pele é extremamente importante para um diagnóstico precoce e tratamento adequado da doença, evitando que as manchas evoluam. Quando descoberto precocemente, o câncer de pele tem grandes chances de cura.

Esse é o tumor maligno mais comum no Brasil e acomete, geralmente, pessoas com mais de 40 anos, de pele clara e que já apresentaram outras doenças cutâneas. Pintas, pequenas elevações e manchas na pele que apresentarem tons de castanho claro ou até avermelhados, merecem atenção especial e precisam ser analisados por especialistas.

É importante consultar um dermatologista logo que o paciente perceba o aparecimento das primeiras pintas no corpo. Neste post, vamos falar sobre os principais tipos de câncer de pele e como identificá-los. Boa leitura!

Quais são os tipos de câncer de pele?

Saber quais são os tipos de câncer de pele mais comuns e suas características é fundamental para detectar precocemente a doença. Além disso, quando tratado nos estágios iniciais, ele tem alto índice de cura. Esses tumores são divididos em melanomas e não melanomas.

Câncer de pele não melanoma

Os tumores não melanoma são os que mais acometem os pacientes brasileiros, representando a grande maioria dos casos de câncer de pele. Eles surgem na camada superficial da pele e são mais comuns em pessoas acima de 40 anos. Quando comparados com os tumores melanoma, apresentam menor taxa de mortalidade.

Geralmente, esse tipo de tumor aparece em regiões que ficam expostas ao sol, como pescoço braços, mãos e orelhas. Apesar de os sintomas variarem de paciente para paciente, é preciso ficar atento a alguns sinais, como:

  • crescimento de mancha ou pintas no corpo;
  • coceira e sangramento frequente;
  • mudança de cor, consistência e textura;
  • lesão avermelhada ou rosada com crescimento lento e constantemente;
  • feridas que não cicatrizam em até quatro semanas;
  • mudança de cor, textura e tamanho em machas ou pintas de nascença.

Câncer de pele melanoma

O melanoma é um tipo de câncer de pele originado das células que produzem melanina, ou seja, nos melanócitos. Essas células são responsáveis pelo pigmento que proporciona cor à pele e têm o intuito de proteger as camadas mais profundas contra os efeitos nocivos dos raios solares. Apesar de ser mais raro, o câncer de pele melanoma é bem agressivo e pode levar à morte com mais frequência.

Isso ocorre porque esse tipo de tumor tem alto risco de metástase, ou seja, se espalha com mais rapidez e facilidade para outros órgãos. Além disso, em estágios mais avançados, a doença não responde de forma adequada aos tratamentos. O melanoma acomete em maior número pessoas de pele clara, mas negros, orientais e seus descendentes também devem ficar atentos às mudanças na pele.

Os tumores podem surgir em todas as partes, até nos olhos e nas membranas mucosas. Em estágios iniciais, esse tipo de tumor costuma se apresentar como pintas no corpo, mas já é possível perceber particularidades que sugerem a presença da doença.

O risco do desenvolvimento do câncer de pele melanoma aumenta conforme o número de sinais que houver pelo corpo. Mas, nem toda pinta é um câncer e alguns fatores ajudam na identificação dessa doença.

Como identificar se as pintas no corpo são malignas?

Somente um médico dermatologista ou oncologista é capaz de afirmar, com segurança, por meio de exames e biopsias, se uma pinta ou mancha é um câncer de pele. Mas, o próprio paciente pode identificar mudanças suspeitas. Por meio de letras, as Regras do ABCDE ajudam o paciente a realizar o autoexame.

A – Assimetria

Geralmente, as pintas ou manchas benignas são simétricas, ou seja, têm metades iguais se forem divididas ao meio. Porém, se as metades apresentarem diferença, pode ser um sinal de câncer de pele.

B – Borda

Pintas benignas têm, em geral, bordas com limites bem definidos e contínuos. Por outro lado, as pintas ou manchas malignas apresentam bordas irregulares, com pontas e curvas, dentadas, chanfradas ou com sulcos.

C – Cor

As pintas benignas costumam apresentar apenas um tom, já aquelas com duas ou mais cores, ou que mudaram de tonalidade, precisam ser investigadas por ser um indicativo de tumor. Além disso, pintas no corpo de cores escuras, entre castanho e preto, devem receber atenção especial, pois podem ser um sinal de câncer de pele.

D – Dimensão

O tamanho das pintas e manchas também pode indicar anormalidade. As pintas benignas têm menos de 6 mm de diâmetro. Já as maiores que isso podem apresentar algum tipo de lesão e precisam ser analisadas por um profissional. Além disso, pintas ou manchas que se apresentam pequenas, mas crescem rapidamente, podem ser malignas.

E – Evolução

Nem toda pinta é sinal de melanoma, mas é preciso ficar atento quanto à evolução desses sinais. Pintas que crescem rápido demais ou mudam de cor são consideradas suspeitas e precisam ser examinadas por um médico oncologista ou dermatologista.

Quais os conjuntos de sinais indicativos de melanoma?

pintas no corpo

Todos os sinais de possíveis tumores devem ser investigados por profissionais da área e, mesmo quando apresentam uma ou mais características, não significa que aquela pinta é um melanoma. Mas há ao menos três conjuntos de sintomas e sinais que indicam a presença de câncer de pele, são eles:

  • mancha ou ferida que aumenta de tamanho e apresenta dificuldade em cicatrizar, por mais de quatro semanas, juntamente a coceira, sangramento e formação de crostas;
  • pinta de tom escuro, entre castanho ou preto, com mudança de textura e cor, bordas irregulares e que apresenta aumento de tamanho;
  • lesão mais elevada que o restante da pele, com formação de crosta no centro, aparência brilhante e sangramento fácil. Pode ser rosada, branca, avermelhada, castanha ou multicor.

Quando e por que procurar um profissional?

Ao identificar os primeiros sintomas, como mudança de aparência e tamanho, coceira excessiva e sangramento, é fundamental que o paciente busque atendimento médico especializado o quanto antes. Somente um profissional da área será capaz de realizar exames mais profundos para verificar se o tumor é ou não maligno. Dessa forma, é possível garantir um diagnóstico precoce e mais preciso, aumentando muito as chances de cura do câncer de pele.

Como vimos, algumas pintas no corpo podem sugerir tumores malignos. Para prevenir o desenvolvimento dos melanomas, evite a exposição excessiva ao sol, faça uso de filtro solar e mantenha o skincare, ou seja, os cuidados com a pele. O uso de hidratantes e antioxidantes dermocosméticos resguarda a integridade da pele e evita o envelhecimento precoce. Fique atento às mudanças e, se necessário, procure ajuda médica.

Quer mais informações sobre saúde e bem-estar? Entre em contato com nossa equipe e tire todas as suas dúvidas!

Posts relacionados

Deixe um comentário