banner_blog_abril
Profissional da infectologia realizando análise em laboratório. Profissional da infectologia realizando análise em laboratório.

Infectologia: o que trata essa especialidade médica?

8 minutos para ler

Responsável por estudar as doenças de origens infecciosas, o profissional da infectologia tem papel extremamente relevante para a medicina, especialmente no que se refere à imunização.

Saiba quais as doenças tratadas por essa especialidade e suas relevâncias na leitura abaixo:

O que é infectologia?

A infectologia é uma das opções de residência médica que tem como objetivo realizar o estudo, diagnosticar e tratar doenças de origem infecciosa de natureza crônica ou aguda, provocadas por fungos, vírus, bactérias e/ou protozoários.

Um exemplo das doenças tratadas por esses especialistas é a COVID-19. Por falar em Coronavírus, os profissionais infectologistas tiveram um papel extremamente importante durante a pandemia, sendo os principais responsáveis pelos estudos e pesquisas das vacinas.

O que é infectologista?

O médico infectologista é o profissional da saúde especializado em infectologia, que tem como função identificar a presença de doenças infecciosas (como a gripe, AIDS, dengue e outras), e indicar os possíveis tratamentos para cada uma delas.

Além disso, ele pode se dedicar a pesquisas de vacinas. Vale lembrar que esse profissional da saúde atuou arduamente e obteve bastante destaque e relevância durante o período de pandemia, sendo o responsável pelo estudo da imunologia da COVID-19.

Quero me tornar um infectologista, o que devo fazer?

Para se tornar um médico infectologista é necessária a residência médica em infectologia e aprovação em todas as etapas do processo, realizando provas com questões teóricas e práticas.

No primeiro ano da residência, o estudante será direcionado a hospitais universitários com o intuito de realizar estágios de forma mais generalizada, como em pronto-socorro, UTI, alas de pediatria e epidemiologia e etc.

Após o primeiro ano, a formação é mais específica, com teoria e práticas focadas no tratamento de ISTs, imunologia, controle de infecção hospitalar etc., e os profissionais atuam em enfermarias e ambulatórios, tratando pacientes de diversas faixas etárias.

Infectologista realizando análise laboratorial de doença infecciosa.

Quais são as possíveis áreas de atuação de um infectologista?

O profissional da infectologia pode atuar em diversas áreas, como a clínica, a de pesquisa e podem também focar em públicos específicos, como a infectologia pediátrica, que tem como objetivo tratar de doenças infecciosas que acometem crianças, como catapora, sarampo, pneumonia e outras.

Ademais, os infectologistas também podem se dedicar aos estudos de doenças específicas, se tornando especialista em uma determinada patologia. Segue, abaixo, algumas atuações de um profissional da infectologia e suas respectivas funções:

  • Imunologia

Esse profissional atua realizando pesquisas e analisando a mutação do vírus responsável pela infecção, e criando vacinas para o combate das anomalias virais, através de profilaxia e estímulo da produção de anticorpos no organismo, como as vacinas da febre amarela, sarampo e gripe.

Devem, também, aconselhar os pacientes sobre importantes mudanças de hábitos pessoais e no ambiente, que podem auxiliar na prevenção das infecções.

  • Infectologia hospitalar

Esse profissional da infectologia auxilia a conter bactérias que podem estar presentes em ambientes hospitalares, em busca da segurança de funcionários e pacientes.

Para isso, ele realiza reuniões e organiza formas de manter um ambiente mais seguro e livre de microrganismos infecciosos, através de ações simples como a higiene das mãos com água, sabão e álcool.

  • ISTs

Antes chamadas de DSTs, as ISTs ou infecções sexualmente transmissíveis, como a AIDS, sífilis e herpes genital, são tratadas por esse profissional.

No início, essas doenças podem ser tratadas pela administração de drogas antirretrovirais. Outra função desse especialista é a realização do diagnóstico dessas doenças.

  • Medicina tropical

Esse infectologista é responsável por realizar a vigilância epidemiológica do viajante, através da detecção e prevenção da disseminação de doenças tropicais infecciosas.

Isso porque, em alguns países, é necessária a comprovação da imunização contra certas patologias que podem ser adquiridas durante o período de viagem e/ou estadia. Por esse motivo, alguns pacientes consultam antes e depois de viajar, tudo para verificar o seu estado de saúde.

  • Zoonoses e arboviroses

O profissional da infectologia que atua nas zoonoses e arboviroses cuidam de doenças transmitidas por animais que podem ser replicadas por seres humanos, sendo responsável pelo diagnóstico através da solicitação de exames e indicação de tratamentos, que podem envolver a imunização.

A raiva é um exemplo de patologia tratada por esse médico, uma vez que a mordida de um morcego ou cachorro portador da virose pode infectar um humano e ser replicada.

A teníase, causada pela ingestão de carnes mal cozidas ou cruas de porco ou boi, também pode ser um exemplo de doença tratada por esse infectologista.

Quais as principais doenças tratadas por um profissional da infectologia?

  • Doenças endêmicas:

São doenças específicas de determinadas regiões, como a malária em áreas tropicais, a doença de Chagas em áreas rurais da América Latina e a febre amarela em algumas regiões da África e América do Sul.

  • Hepatites virais:

São infecções virais que acometem o fígado. Elas podem ser categorizadas por hepatite A, B, C, D e E, e sua transmissão pode ocorrer pelo contato com sangue contaminado, alimentos ou água contaminados, relação sexual desprotegida e etc.  

  • HIV/AIDS:

O HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) é uma doença viral que acomete o sistema imunológico, enfraquecendo a produção de anticorpos e é transmitido através do contato com fluidos corporais infectados, como sangue, esperma, secreções vaginais e, até mesmo, o leite materno.  

  • Imunocomprometidos não aids:

Refere-se a indivíduos com um sistema imunológico enfraquecido ou comprometido pela presença de doenças autoimunes, tratamentos contra o câncer, transplantes de órgãos, uso de medicamentos imunossupressores, entre outros, tornando esses pacientes mais propensos a serem acometidos por infecções oportunistas.

  • Infecção hospitalar:

São infecções adquiridas em um ambiente hospitalar ou de saúde, devido a procedimentos invasivos, falta de higiene adequada, uso inadequado de antimicrobianos e outras condições facilitadoras da disseminação de agentes infecciosos.

  • Influenza:

Popularmente conhecida como gripe, é uma infecção viral respiratória altamente contagiosa que pode resultar em complicações sérias. Os sintomas dessa infecção podem incluir febre, dores musculares, dor de garganta, congestão nasal e fadiga.

  • ISTs (infecções sexualmente transmissíveis):

São infecções causadas por bactérias, vírus ou parasitas que são transmitidos através do contato sexual desprotegido, como a sífilis, gonorreia, HIV e HPV. Essas infecções podem se tornar graves quando não forem tratadas.

  • Micologia clínica:

Doença em que fungos podem infectar várias partes do corpo, incluindo pele, unhas, pulmões, sistema digestivo e genitais.

  • Protozooses:

São doenças causadas por protozoários, como a doença de Chagas, toxoplasmose e malária, que podem ser transmitidas através de picadas de mosquitos, contato com fezes de barbeiro infectado, ingestão de alimentos contaminados ou contato com gatos infectados.

  • Tuberculose:

É uma doença infecciosa transmitida pelo ar através de mucos da tosse ou espirro, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis. Geralmente, afeta os pulmões, mas também pode afetar outros órgãos do corpo. Entre os sintomas mais comuns estão a tosse persistente, febre, perda de peso e fadiga.

  • Zoonoses e arboviroses:

Refere-se a infecções transmitidas de animais para humanos, como dengue, Zika vírus, Chikungunya e febre amarela, que são transmitidas por picadas de mosquitos infectados.

Entre os sintomas dessa doença estão a febre, dor nas articulações e erupções cutâneas. Caso não tratadas corretamente, podem se agravar.

LEIA TAMBÉM: Infectologista perto de mim: quando e onde devo encontrar?

Infectologistas realizando análise de doença em laboratório.

Quais exames podem ser solicitados por um profissional da infectologia?

Caso haja suspeita de alguma doença infecciosa podem ser solicitados exames como ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia computadorizada e testes sorológicos para doenças específicas.

Quais tratamentos o infectologista pode recomendar?

Geralmente os infectologistas recomendam o uso de medicamentos antibióticos. Entretanto, apenas o infectologista poderá indicar o melhor tratamento.

Quando procurar um infectologista?

Caso haja suspeita de alguma doença infecciosa e sintomas como febre, ou quando o tratamento de certas infecções não apresenta resultados e gera complicações ou resistência aos antibióticos prescritos por outro especialista.

Além disso, pacientes que irão viajar para áreas endêmicas devem procurar esse profissional como forma de prevenção.

A AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil, oferecendo diversas especialidades como cardiologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia.

Se você gostou deste conteúdo e deseja investir mais na sua saúde, agende já sua consulta conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário