amidalite ou faringite amidalite ou faringite

Amigdalite ou faringite: como descobrir qual eu tenho?

6 minutos para ler

Quando o inverno chega, muitas pessoas se queixam de dor de garganta, mas não sabem, ao certo, qual é o verdadeiro problema. Então, as dúvidas começam: será que é vírus ou bactéria? É amigdalite ou faringite? Na tentativa de solucionar o problema, alguns recorrem a remédios caseiros que nem sempre resolvem o caso.

Mediante isso, vamos explicar as principais diferenças entre as duas doenças. Veja quais são os sintomas, os fatores de riscos e as causas que levam ao desenvolvimento de amigdalite, faringite e de outros problemas de garganta. Confira, também, quando é necessário buscar ajuda médica especializada.

Acompanhe! 

Como diferenciar amigdalite e faringite?

Em primeiro lugar, é preciso entender onde essas duas estruturas — amígdalas e faringe — estão localizadas. As amígdalas são pares, formadas por um tecido mole, arredondadas e situadas na lateral da garganta. Já a faringe, é um tubo de tecido liso, que liga o nariz e a boca à parte posterior chamada laringe.

Quanto aos conceitos, o termo “ite” vem do grego e significa infecção. Assim sendo, a amigdalite é a infecção das amígdalas, enquanto a faringite é a infecção da faringe. Como as duas doenças apresentam sintomas parecidos, exige-se um pouco de atenção às características para conseguir diferenciá-las.

Geralmente, a faringite causa sintomas mais leves e fáceis de perceber. Os principais são dor e irritação na garganta. Além disso, a pessoa pode sentir desconforto na área afetada, coceira e tosse seca. Algumas vezes, pode surgir rouquidão, um sinal típico de faringite.

Na amigdalite, normalmente as queixas são de dor ao engolir, já que a passagem do alimento comprime as amígdalas inflamadas. Também pode surgir vermelhidão no local, dor nas laterais do pescoço e febre. Nos casos mais graves, é possível observar a presença de pus, que é uma das principais diferenças entre amigdalite e faringite.

O que causa essas doenças?

Para melhor compreensão dos fatores que influenciam o surgimento desses problemas, vamos descrevê-los separadamente. Observe!

Amigdalite

As principais causas que levam à inflamação das amígdalas são as seguintes.

Vírus e bactérias

A maioria dos casos de dor na garganta por amigdalite é causada por certos tipos de vírus como o influenza, que também provoca a gripe. Porém, a amigdalite também pode surgir por infecção bacteriana. Nesse caso, há presença de pus, uma secreção amarelada que indica a ação de bactérias. 

Faringite

Os motivos que levam ao desenvolvimento de faringite também exigem atenção e cuidado. Veja quais são!

Alergias

A maioria dos casos de faringite tem relação com alergias respiratórias ou processos irritativos. Indivíduos que sofrem com refluxo são mais vulneráveis a esse tipo de problema. Quem vive em grandes cidades, com altos índices de poluição, também pode desenvolver faringite. 

Ar-condicionado mal higienizado

Aparelhos de ar-condicionado mal higienizados podem causar faringite devido à irritação na garganta, principalmente em lugares de clima muito seco. O ar frio que sai do equipamento, junto das partículas de poeira, resseca as narinas e a faringe reduzindo a defesa natural desses órgãos.

Qual é mais grave? Amigdalite ou faringite?

amidalite ou faringite

O nível de gravidade dessas doenças depende de vários fatores, principalmente das causas e das condições de saúde. Ainda que os sintomas da faringite sejam mais brandos, a faringe também está sujeita a ataques de vírus e bactérias. Geralmente, a faringite viral ou bacteriana surge em consequência de outras doenças mais graves que enfraquecem o organismo. 

Já a amigdalite pode ser mais complicada em crianças pequenas e idosos. Nesse grupo, as infecções podem durar mais tempo e surgir acompanhadas de febre e dores no corpo. Logo, o nível de gravidade das duas doenças depende de diferentes características, o que torna importante buscar ajuda médica quando aparecerem os primeiros sintomas.  

Quais são os fatores de risco?

Qualquer pessoa pode desenvolver amigdalite ou faringite, mas existem comportamentos que elevam os riscos para as doenças. Além do mais, esses problemas são influenciados por diferentes fatores externos. Confira!

Faringite

Listamos os grupos mais vulneráveis aos episódios de faringite. Veja bem!

Fumantes

Além de contribuir para o desenvolvimento de doenças pulmonares e de diversos tipos de câncer, o hábito de fumar traz outros prejuízos do cigarro para a saúde, como a faringite. As substâncias presentes no cigarro causam irritação da faringe e diminuem a defesa da região.

Pessoas que frequentam lugares pouco ventilados

O ideal é evitar, ao máximo, estudar, trabalhar ou dormir em ambientes fechados e com pouca circulação de ar. Frequentar locais de grandes aglomerações de pessoas também facilita a ação de vírus e bactérias. Pois, em lugares pouco ventilados, esses germes causam faringite e outros problemas de saúde.

Amigdalite

Destacamos os principais fatores de risco para a amigdalite. Observe!

Baixa imunidade

A amigdalite, assim como outras infecções, são mais comuns em pessoas com a defesa do organismo enfraquecida. Ou seja, a deixa imunidade torna o corpo menos resistente aos ataques de vírus e bactérias. Estresse, problemas emocionais e alimentação inadequada provocam a queda da defesa imune.

Bebês e crianças pequenas

Ainda que a amigdalite possa surgir em qualquer idade, ela é mais comum na infância. Bebês e crianças pequenas acometidas por esse tipo de infecção ficam mais irritadas, sem apetite e, às vezes, apresentam inchaço nas laterais do pescoço.

Quando procurar ajuda médica?

Independentemente de ser amigdalite ou faringite, evite tratamentos caseiros e procure ajuda médica. Infecções bacterianas são tratadas com antibióticos, assim como as virais exigem o uso de antiinflamatórios. Mas você não deve tomar remédios por conta própria, pois há o risco de piorar o quadro.

Por isso, marque uma consulta especializada nos seguintes casos:

  • dores de garganta fortes e persistentes, que duram dias ou semanas;
  • dificuldades para abrir a boca, engolir ou para respirar;
  • presença de caroços (nódulos) nas laterais do pescoço;
  • presença de ínguas nas axila ou na virilha;
  • dor na face, no pescoço e no ouvido;
  • voz rouca por mais de uma semana;
  • febre alta e persistente.

Como você viu, as dores de garganta podem surgir por diferentes causas, principalmente por amigdalite ou faringite. Por isso, antes de iniciar qualquer tratamento em casa, é fundamental procurar ajuda médica, como um alergista. Somente um profissional especializado está apto a tratar essas doenças antes que elas se tornem mais complicadas.

Gostou deste artigo? Compartilhe-o nas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a essas informações.

Posts relacionados

Deixe um comentário