imunidade baixa imunidade baixa

Será que estou com a imunidade baixa? Atente para estes 11 sinais!

7 minutos para ler

Com o ritmo acelerado da vida moderna, muitas vezes deixamos de prestar atenção aos sinais que o corpo nos envia para mostrar que algo não está bem. A baixa da imunidade é um grande alerta vermelho indicando que precisamos cuidar melhor da saúde, já que esse problema nos deixa vulneráveis a diversas enfermidades.

Neste artigo, vamos explicar como funciona o sistema imunológico, os principais sintomas e riscos de ficar com a imunidade baixa e o que você pode fazer para fortalecer seu organismo e evitar o aparecimento de doenças oportunistas. Confira!

Como funciona o sistema imunológico?

O papel do sistema imunológico é proteger nosso corpo da invasão de agentes causadores de doenças, como vírus, bactérias e fungos. Para desempenhar essa função, contamos com o trabalho de órgãos como o baço, a medula óssea e o intestino, além de células específicas que circulam pelo nosso sangue, como os linfócitos, neutrófilos, basófilos, macrófagos, entre outras.

Essas moléculas são capazes de identificar quando um micróbio ou corpo estranho entra em contato com nosso organismo, e imediatamente dão início a uma resposta de proteção, capturando e destruindo os invasores nocivos.

Assim, pode-se dizer que o sistema imunológico funciona como um exército microscópico superorganizado, em que cada tipo de célula é especializado em determinada tarefa de proteção, garantindo a manutenção da saúde.

Vale lembrar que alguns desses mecanismos de defesa já estão presentes em nosso organismo desde o nascimento, enquanto outros são adquiridos ao longo da vida, quando entramos em contato com determinados micro-organismos e nos recuperamos de uma doença ou quando somos vacinados.

O que é imunidade baixa e como ela é causada?

Em determinados momentos da vida, nosso organismo pode ficar fragilizado, o que causa uma redução do funcionamento dos nossos mecanismos de defesa e da quantidade de células imunes. Assim, configura-se um quadro de imunidade baixa, que nos torna mais vulneráveis ao ataque de agentes causadores de doenças e infecções.

Entre os fatores que podem desencadear a redução da imunidade, podemos citar a má alimentação, o estresse, e exposição excessiva ao frio, e, ainda, procedimentos como a radioterapia e a quimioterapia, administrados no tratamento de pacientes com câncer, além de doenças que afetam o sistema imunológico, como o HIV.

Quais os riscos de ficar com a imunidade baixa?

Conforme explicamos, o sistema imunológico é o responsável por proteger nosso organismo contra invasores nocivos. Assim, uma pessoa com a imunidade baixa fica mais propensa a desenvolver alergias, sofrer com o aparecimento de micoses e contrair diversos tipos de doenças contagiosas — como gripe, infecções, catapora, sarampo, tuberculose, herpes, entre outras.

Além disso, um indivíduo imunodeprimido demora mais tempo para se recuperar de enfermidades simples. Assim, condições com aparentemente pouca importância, como um resfriado, podem evoluir para uma pneumonia, por exemplo, trazendo consequências mais graves para a saúde.

Quais os sinais de imunidade baixa?

imunidade baixa

A queda da imunidade pode ser facilmente detectável por um exame de sangue. No entanto, existem alguns sinais aos quais você deve prestar atenção, pois eles podem indicar que seu organismo se encontra imunodeprimido. Caso sinta um ou mais dos sintomas abaixo, pode ser um indício de que sua imunidade está baixa e de que é hora de procurar seu médico para fazer um check-up:

  1. cansaço excessivo;
  2. fraqueza;
  3. gripes recorrentes ou persistentes;
  4. infecções frequentes, como candidíase, otite ou infecção intestinal;
  5. demora para se recuperar de doenças aparentemente simples, como amigdalites;
  6. herpes;
  7. queda de cabelo;
  8. unhas quebradiças;
  9. alergias;
  10. dores no corpo;
  11. febre e calafrios sem motivo aparente.

O que fazer para combater esse problema?

Para evitar a queda da imunidade e garantir que seu sistema de defesa se mantenha em alta, é importante seguir algumas orientações que ajudam a fortalecer o organismo.

Manter uma alimentação balanceada

Os alimentos são fontes de energia e de nutrientes para nosso corpo, e uma dieta balanceada é um dos principais pilares da saúde. Para garantir uma imunidade alta, devemos dar preferência a uma alimentação natural, livre de conservantes, ingerir pelo menos cinco porções de frutas e vegetais diariamente e procurar ter uma dieta variada.

As vitaminas do complexo B, por exemplo, são importantes aliadas do sistema imunológico, e podem ser encontradas em alimentos como peixes, castanhas, abacates, couve e espinafre. Já a vitamina C, muito popular no combate à gripe e no fortalecimento do organismo, está presente principalmente em frutas cítricas, como limão e laranja.

Praticar exercícios físicos

A prática regular de atividades físicas promove o aumento da produção de linfócitos, um dos protagonistas do sistema imunológico. Além disso, os exercícios físicos aumentam a frequência cardíaca e beneficiam a circulação sanguínea.

Com isso, nossas células de defesa são bombeadas para fora dessa esfera, como o baço e os linfonodos, e passam a circular mais pelo corpo, estando prontas para combater mais rapidamente um eventual invasor.

Pegar sol

Embora o sol em excesso possa causar danos à saúde da pele, a exposição à radiação solar é necessária para que nosso organismo produza a vitamina D, que tem um papel importante para reforçar nossa imunidade. Portanto, é recomendável ficar no sol por 15 a 20 minutos por dia, expondo grandes áreas de pele, como braços e pernas.

Dormir bem

Enquanto dormimos, nosso organismo produz uma série de hormônios necessários ao bem-estar, regula o metabolismo e realiza a síntese de proteínas necessárias para restaurar músculos e tecidos. O estresse excessivo e a falta de sono crônica, por outro lado, são fatores que enfraquecem o organismo de modo geral e, com isso, debilitam o sistema imunológico.

Assim, para ter uma saúde de ferro, é necessário manter práticas de relaxamento físico e mental e cuidar da higiene do sono, dormindo uma média de 8 horas por noite.

Beber a quantidade adequada de água

Devemos lembrar que cerca de 70% do nosso corpo é feito de água. Portanto, para garantir um funcionamento adequado do organismo, é importante beber água o suficiente para manter a hidratação. Embora exista uma recomendação geral de consumir cerca de 2 litros por dia, existem cálculos mais específicos que você pode fazer para identificar a quantidade ideal para o seu organismo.

No caso de adultos, para cada quilo de peso corporal, devem ser consumidos 35 ml de água por dia. Assim, basta multiplicar o seu peso por 35 e chegar ao valor de mililitros que você deve beber diariamente. Por exemplo: se uma pessoa pesa 70 kg, deverá consumir 2,45 litros de água por dia, pois 70 x 35 = 2.450. Por outro lado, um adulto de 90 kg deverá beber 3,15 litros de água, considerando que 90 x 35 = 3.150.

Visitar o médico regularmente

Para ter certeza de que sua saúde está mesmo em dia, é importante consultar o médico de tempos em tempos, pois ele poderá solicitar exames e verificar se existe a necessidade de fazer algum ajuste no seu estilo de vida ou indicar o consumo de suplementos capazes de fortalecer seu sistema imunológico.

Ao entender a importância do sistema imunológico e colocar em prática todas essas orientações que garantem o fortalecimento do organismo, você passa longe da imunidade baixa e garante maior qualidade de vida e bem-estar.

Queremos saber o que você tem feito para cuidar da saúde. Deixe um comentário contando quais são suas estratégias para manter a imunidade alta!

Posts relacionados

Deixe um comentário