banner_blog_abril
enchente enchente

Como as enchentes aumentam os riscos de doenças infectocontagiosas?

7 minutos para ler

Quem reside em locais propensos a enchentes sabe que as estações chuvosas sempre são motivo de preocupação. Afinal, além dos transtornos e das inúmeras perdas materiais, os alagamentos também são causadores de diversas doenças infectocontagiosas.

A água da enchente é extremamente suja, visto que traz com ela impurezas dos esgotos, lixo e animais como ratos, baratas e outros insetos. Não se pode deixar de considerar que, depois que as águas voltam para o nível normal, ainda seja necessário lidar com a sujeira e a água parada.

Se você sofre com esse tipo de problema ou conhece alguém que esteja nessa situação, continue acompanhando este post e saiba como se precaver!

Saiba como as enchentes aumentam o risco de doenças infectocontagiosas

Embora a enchente, geralmente, ocorra devido a um aumento do nível dos rios, a água proveniente das cheias está longe de ser limpa e pode ser uma fonte de doenças. Em primeiro lugar, quando chega a entrar nas casas, a rede de esgotos já está comprometida, de modo que todas as impurezas presentes ali e nas fossas tende a transbordar.

Da mesma forma, animais que residem nas margens dos rios e nos bueiros, como ratos, baratas, carrapatos e cobras, também ficam desalojados e procuram abrigos em locais secos, além de serem levados pela água, podendo entrar nas casas.

Conheça algumas das principais doenças causadas pelas cheias

Entender quais são as principais doenças infectocontagiosas causadas pelas enchentes pode ajudar você a se prevenir contra elas. Outro ponto importante é servir de alerta para saber por que não é indicado se expor entrando na água, assim como realizar a limpeza adequada da área depois que o nível baixar. Sempre use equipamentos de proteção, como botas de borracha e luvas.

Dengue

A dengue é uma doença que ganha força no verão devido ao aumento das chuvas. Isso acontece porque seu principal vetor, o mosquito Aedes aegypti, se reproduz em águas mornas e paradas, depositando seus ovos e se proliferando rapidamente.

Por esse motivo, existem muitas campanhas visando a acabar com focos de água parada em terrenos baldios e casas. Contudo, após uma enchente, essa tarefa se torna extremamente difícil.

Os principais sintomas dessa doença são febre alta e dores nas articulações. Existem ainda variantes muito graves, como a dengue hemorrágica. O mosquito da dengue, como é conhecido, também é o vetor de outras doenças, como a Zika e o Chikungunya, todas igualmente graves.

Leptospirose

A leptospirose é uma doença causada pela contaminação através da urina dos ratos. Com a elevação das águas, o habitat desses animais, como esgotos, lixões, terrenos vazios e bueiros, é inundado, contaminando a água que entra nas ruas e casas.

Como a transmissão acontece através da pele, mucosas e ingestão de alimentos e água contaminada, é muito perigoso entrar na água da enchente. Caminhar pelas ruas inundadas, usar roupas molhadas e realizar a limpeza sem proteção pode resultar em contaminação e contágio.

A leptospirose é uma doença grave, cujos principais sintomas são febre, dor no corpo, vômito, tosse e diarreia, podendo haver, também, icterícia, que causa uma coloração amarela nos olhos e na pele.

Cólera

A cólera é uma doença infectocontagiosa típica de regiões carentes e sem saneamento básico. A contaminação se dá através da ingestão de uma bactéria, geralmente, encontrada na água e comida suja com fezes de pessoas ou animais que já estejam infectadas. Por isso, lugares que não têm tratamento de esgoto costumam ser fonte desse tipo de doenças.

Da mesma forma, em épocas de chuvas, em que a rede de tratamento fica congestionada e ocorre o transbordamento desses materiais, o risco de contágio aumenta bastante. Os principais sintomas da cólera aparecem em torno de três dias depois da ingestão com a bactéria, e vão desde diarreia intensa, vômito e náuseas até cansaço, desidratação e arritmias.

Febre tifoide

Outra doença cujos riscos de contágio aumentam com as enchentes é a febre tifoide. Ela é causada por uma bactéria conhecida como Salmonella typhi, encontrada em áreas com pouca higiene e sem saneamento básico. A transmissão acontece através da ingestão de alimentos e água contaminados, ou ao entrar em contato com alguém doente.

A febre tifoide causa falta de apetite, manchas vermelhas na pele, dor de barriga, febre alta e mal-estar intenso.

Aprenda como se prevenir do contágio

Uma enchente é uma situação excepcional e extrema. Por isso, é claro que, em algumas situações, é impossível evitar o contato com a lama e a água suja. Contudo, existem alguns cuidados que podem reduzir bastante as chances de contrair doenças. Continue lendo e fique sabendo.

Mantenha sua carteira de vacinação em dia

Muitas das doenças resultantes das enchentes podem ser evitadas com vacinas. Portanto, se você reside em áreas que são regularmente afetadas, mantenha sua carteira e a dos seus filhos sempre atualizada, o que abrange tomar as doses de reforço, quando for necessário.

A maioria delas pode ser fornecida gratuitamente em postos de saúde e são uma ótima maneira de proteger a família desses males, principalmente, em locais com grande aglomeração de pessoas.

Evite a presença de roedores em sua residência

Os roedores são animais que costumam fazer ninho em locais com objetos entulhados e onde exista a presença de comida fácil, como esgotos e lixões. À vista disso, quando existem poucos cuidados com higiene, eles podem ser atraídos por restos de alimento em cozinhas e dispensas.

Por isso, tenha atenção com a limpeza desses espaços e evite ao máximo deixar restos de alimentos expostos. Use potes e vasilhas com tampa para proteger os mantimentos e dê preferência para latas e vidros, que são mais eficientes contra roedores.

Quem tem animais de estimação deve ter o cuidado de tirar os restos de ração das vasilhas e limpar as fezes. Da mesma forma, o lixo deve ser removido com regularidade e armazenado em latas fechadas até o momento da coleta.

Fique longe de áreas de risco

É claro que nem sempre isso é possível, no caso das enchentes. Contudo, é importante evitar ao máximo ter contato com a água das cheias. Caso seja essencial ter acesso a algum desses lugares, procure usar botas de borracha e luvas, bem como tomar banho e usar desinfetantes, como o álcool 70%, nas mãos e nas roupas.

Outro cuidado relevante é não levar as mãos ao rosto caso tenha contato com a água contaminada.

Tenha cuidado quando for consumir água

Depois de uma enchente, a qualidade da água pode ser bastante prejudicada. Por isso, antes de beber, escovar os dentes ou cozinhar, procure ferver o líquido, de modo a eliminar bactérias que possam causar doenças. Lavar a caixa d’água e usar produtos que promovam a limpeza da água também são medidas eficientes.

Em um país tropical, é comum que algumas áreas sofram com o excesso de chuvas e a cheia dos rios, lagos e lagoas. As enchentes são uma triste realidade que pode causar prejuízos inimagináveis. Nesse cenário, apesar dos cuidados apresentados neste conteúdo, se sentir algum sintoma estranho, não deixe de procurar um médico, está bem?

Se você gostou das dicas, vale a pena assinar a nossa newsletter. Tenha acesso a um conteúdo exclusivo com muitas outras informações para ajudar nos cuidados com a sua saúde!

A AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil, oferecendo diversas especialidades como cardiologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia.

Se você gostou deste conteúdo e deseja investir mais na sua saúde, agende já sua consulta conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário