Saúde da criança: como deve ser o acompanhamento médico nessa fase?

6 minutos para ler

É comum que os pais tenham bastante atenção à saúde das crianças nos primeiros meses de vida, enquanto ainda bebês. Normalmente, isso resulta em frequentes consultas médicas, principalmente para acompanhar o desenvolvimento dos filhos e avaliar qualquer alteração ou sintoma que eles apresentem.

No entanto, depois dos primeiros 2 anos de vida, a tendência é reduzir a frequência de consultas, principalmente nos casos em que ela não tem problemas de saúde. Por isso, é importante entender como deve ser o acompanhamento médico a partir dessa idade e quais cuidados devem ser observados em relação ao desenvolvimento infantil.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura deste post e entenda os principais pontos sobre a saúde das crianças!

Frequência ideal para ir ao pediatra

Enquanto nos primeiros 12 meses é recomendada a consulta anual, seguida por consultas trimestrais após completar 1 ano, a frequência para ir ao pediatra pode ser reduzida a partir dos 2 anos. A partir dessa idade, as visitas ao médico podem ser feitas semestralmente até os 7 anos.

Entre os 7 e os 21 anos — fase que engloba o fim da infância, a adolescência e o início da fase adulta — as consultas podem ser anuais. O objetivo é garantir que a criança passe por todas as fases de desenvolvimento da melhor forma, com foco em evitar doenças, detectar eventuais distúrbios e tratá-los de maneira precoce.

Durante o atendimento médico, o profissional aproveita a oportunidade para observar a interação dos pais com crianças, esclarecer eventuais dúvidas e, sempre que achar necessário, oferecer aconselhamento para que eles consigam auxiliar o crescimento físico, emocional e mental saudável dos filhos.

Realização de exames médicos

Na consulta, o médico fará um exame físico completo. Primeiro, ele verifica a altura e o peso da criança. Até os 3 anos, também é feita a medição da circunferência da cabeça e, a partir dessa idade, o médico também faz a medição da pressão arterial. Os resultados são comparados com os registros das consultas anteriores para observar o desenvolvimento e ver se ele está progredindo corretamente.

O profissional também examinará o corpo da criança, incluindo:

  • coração;
  • pulmões;
  • abdômen;
  • coluna;
  • braços;
  • pernas;
  • pescoço;
  • olhos;
  • ouvidos;
  • nariz;
  • bocas;
  • dentes.

Exames para determinação dos lipídios acontecem a partir dos 2 anos, caso tenha fatores de riscos, sinais clínicos ou histórico familiar. A partir dos 10 anos, a Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda que sejam feitos testes de colesterol anualmente, independentemente de fatores de risco. Além desses, em todas as idades o médico pode solicitar exames completos de urina, de sangue ou de tireoide.

Obesidade infantil

Com o aumento dos índices de obesidade infantil, quando há excesso de peso nas crianças o médico pode indicar a realização de um perfil de exames laboratoriais para verificar se existem complicações que exigem atenção. São eles:

  • glicemia de jejum;
  • dosagem dos lipídios (colesterol total, HDL, LDL, triglicerídeos);
  • AST (TGP).

Caso existam outros fatores de risco, o pediatra pode solicitar alguns exames complementares para avaliar o estado de saúde da criança, por exemplo:

  • avaliação da função renal (ureia e creatinina);
  • eletrólitos (sódio e potássio);
  • ácido úrico;
  • gama-GT;
  • fosfatase alcalina;
  • índice de HOMA;
  • dosagens hormonais;
  • urina simples (EAS);
  • raios-X de tórax e de membros inferiores;
  • fundo de olho;
  • ecocardiograma.

Calendário de vacinação

A vacinação é fundamental para a saúde das crianças, pois oferece proteção contra diversas doenças. Exatamente por isso, o governo garante acesso às principais imunizações de forma gratuita a toda a população. Até os 2 anos, a frequência de vacinas é maior devido à importância de prevenir os problemas de saúde nos bebês.

Contudo, o calendário de vacinação conta com doses que devem ser aplicadas em todas as fases da vida. Para as crianças de 4 anos, é preciso aplicar as seguintes:

  • 2º reforço da DTP, que previne difteria, tétano e coqueluche;
  • 2º reforço da Vacina Poliomielite 1 e 3 atenuada (VOP);
  • 1 dose da Varicela Atenuada, que previne varicela e catapora.

Até completar 6 anos, a criança deve tomar uma ou duas doses da vacina influenza por ano, conforme a campanha de vacinação da gripe. Além disso, é importante acompanhar as notícias para ver se existem outras vacinas que devem ser tomadas — em 2019, por exemplo, foi recomendada a vacinação do sarampo para quem ainda não estava imunizado.

Com a proximidade da adolescência, também é importante tomar a vacina do HPV, que previne o papiloma, um vírus que causa câncer e verrugas genitais. São duas doses que devem ser aplicadas nas meninas entre 9 e 14 anos e nos meninos entre 11 e 14 anos.

Pontos de atenção à saúde da criança

Como as crianças estão em desenvolvimento, as experiências dessa fase influenciarão no adulto que será. Um dos principais cuidados adotados é a atenção aos hábitos saudáveis: uma alimentação balanceada, com frutas, verduras e legumes, e sem excesso açúcar e gorduras.

Também é importante estimular a prática de esportes e atividades para movimentar o corpo: com a tecnologia, as crianças dão preferência para programas em que ficam paradas, como jogar videogame, assistir vídeos e mexer no celular.

O sedentarismo prejudica a saúde da criança e colabora com o surgimento de diversos problemas, como:

  • hipertensão;
  • obesidade;
  • diabetes;
  • depressão;
  • ansiedade.

Além das consultas de rotina ao pediatra, é interessante visitar outros especialistas para verificar se não há alteração na visão ou na audição, que prejudicam o crescimento da criança. O diagnóstico é essencial para iniciar os tratamentos necessários para a correção.

Agora que você já sabe como deve ser o acompanhamento da saúde da criança, tenha atenção ao desenvolvimento do seu filho. Caso apresente alterações no comportamento, não tenha o crescimento esperado para a faixa etária ou manifeste sintomas de alguma doença, é fundamental agendar uma consulta médica ou, se for urgente, ir ao pronto-socorro para garantir atendimento imediato.

Seguindo as nossas dicas, você garante os cuidados necessários para a saúde da criança, além de proporcionar um crescimento mais saudável, com a adoção de bons hábitos para o dia a dia. Sempre que tiver dúvida sobre o assunto, entre em contato com um profissional de confiança.

Gostou do conteúdo? Se você tem outras dúvidas sobre a saúde dos seus filhos e como proporcionar um acompanhamento médico de qualidade, entre em contato com a gente!

Posts relacionados

Deixe uma resposta