Quando ir ao dentista? Entenda a periodicidade ideal

6 minutos para ler

Os cuidados com a saúde bucal são fundamentais para prevenir problemas e fazer todos os tratamentos necessários, a fim de evitar complicações. No entanto, muitos pacientes têm dúvidas sobre quando ir ao dentista e acabam negligenciando as consultas, o que pode resultar em algumas consequências graves.

Exatamente por isso, preparamos este conteúdo para falar sobre a importância das visitas periódicas ao dentista e qual é a frequência ideal. Continue a leitura e saiba mais!

Por que ir ao dentista com frequência?

Muitas vezes, as pessoas deixam para ir ao dentista somente quando identificam algum problema. Então, antes de tudo, é preciso compreender por que as consultas periódicas são tão importantes.

Fazer limpeza profunda

Mesmo adotando todos os cuidados em relação à higiene bucal diária, dificilmente eles abrangem todas as regiões da boca ou toda a eficiência necessária, devido às limitações dos equipamentos e produtos caseiros.

Na visita periódica, o dentista utilizará materiais específicos para garantir uma limpeza profunda e completa. O procedimento também ajuda na eliminação de manchas superficiais causadas por alimentos e permite a identificação de cáries, para que o profissional faça as obturações e demais procedimentos para tratá-las.

Prevenir doenças

Os cuidados adotados pelo profissional na consulta são essenciais para a prevenção de doenças. Durante a limpeza, por exemplo, ele remove as placas bacterianas e o tártaro, que são responsáveis por problemas como gengivite, periodontite e mau hálito.

Além disso, ele também indicará produtos e procedimentos específicos para a sua rotina de higiene bucal, sempre com o objetivo de melhorar a sua saúde. Em outros casos, ele também pode indicar a consulta com outros profissionais para procedimento ou exames complementares.

Diagnosticar doenças e tratá-las

A identificação de problemas de saúde com antecedência, muitas vezes, é essencial para aumentar as chances de sucesso do tratamento e reduzir os impactos causados ao paciente. Uma cárie tratada no início evita que ela se agrave e exija que o dentista trate o canal ou extraia o dente.

Também existem outras doenças que não estão diretamente relacionadas à odontologia, mas que apresentam sintomas na boca e podem ser identificadas pelo dentista, como diabetes, HPV, osteoporose ou câncer. Assim, ele poderá encaminhar o paciente para atendimentos complementares com profissionais da área.

Portanto, mesmo que o dentista não seja o responsável por tratar todas as doenças ou lesões que podem ser observadas em uma consulta preventiva, ele exerce um papel fundamental para que o paciente tenha ciência do problema e procure auxílio médico com antecedência.

Identificar tratamentos necessários

Os problemas bucais podem causar sintomas que nem sempre são relacionados aos dentes. Você sabia que a mordida cruzada pode trazer dores de cabeça ou quadros de gastrite? Ela deve ser tratada com aparelhos ortodônticos e, em alguns casos, procedimentos cirúrgicos.

Existem outros sintomas que podem estar relacionados à mordida do paciente, como dores de ouvido, sinusite, refluxo e outros problemas gastrointestinais. Se não forem tratados, podem evoluir para outros quadros, como bruxismo, artrite e distúrbios da articulação temporomandibular (ATM). A consulta permite que o profissional verifique todos os sintomas e avalie os melhores tratamentos.

Melhorar a autoestima

O sorriso tem uma função estética importante e, por isso, afeta diretamente a autoestima e a confiança das pessoas. Dessa forma, as consultas periódicas são importantes para mantê-lo sempre bonito e saudável, já que a falta de cuidados pode causar o amarelamento ou a perda dos dentes.

Além da limpeza, o dentista poderá avaliar possíveis tratamentos para melhorar a estética do paciente, como o uso de aparelhos para alinhar o sorriso, o clareamento dental ou a utilização de próteses e implantes.

Afinal, quando ir ao dentista?

A frequência ideal dependerá de cada caso. Para fazer consultas preventivas e garantir que a saúde bucal está em dia, o indicado é visitar o dentista a cada 6 meses. Já quem está em tratamento de controle de cárie, principalmente crianças, deve marcar uma consulta a cada 4 meses.

Saber quando ir ao dentista e comparecer nas datas marcadas é essencial para fazer as limpezas e todos os tratamentos preventivos, além de permitir o diagnóstico precoce de problemas bucais, como inflamações, lesões ou câncer bucal.

Situações especiais

Existem situações especiais que exigem visitas mais frequentes. Durante qualquer tipo de tratamento odontológico, o dentista indicará a frequência das próximas consultas para dar continuidade, até atingir os resultados esperados.

Um dos casos mais comuns acontece nos tratamentos com aparelhos ortodônticos. Eles exigem manutenções periódicas, normalmente com frequência mensal, mas esse prazo pode variar de acordo com o tipo de aparelho.

Além disso, caso o paciente tenha hábitos específicos, como fumar, ou apresenta predisposição para alguns problemas, como o tártaro, o dentista pode solicitar consultas mais frequentes. Por isso, o ideal é sempre consultar o profissional para definir a melhor forma de cuidar da saúde bucal.

O que acontece em uma visita periódica ao dentista?

Como a consulta tem o objetivo principal de prevenção, existem diferentes medidas que serão adotadas conforme o profissional identificar a necessidade. Em geral, ao visitar o dentista, são feitos os seguintes procedimentos.

Limpeza e profilaxia

Como mencionamos, a limpeza dos dentes é um dos principais pontos das visitas periódicas. Além de retirar placas e tártaros, isso permitirá que o profissional faça uma avaliação mais profunda.

Exame completo

Depois da limpeza, o dentista faz um exame completo dos dentes, da gengiva, da língua e das mucosas, com o objetivo de identificar se existem alterações ou qualquer tipo de lesão que precisa ser tratada. Para isso, ele também faz perguntas sobre a rotina do paciente e sintomas apresentados que podem identificar a existência de alguma doença.

Radiografias

Dependendo do resultado do exame, o dentista pode solicitar radiografias para complementar o diagnóstico ou iniciar o tratamento. Em alguns casos, o procedimento é feito no próprio consultório, mas existem situações em que o paciente precisará marcar o exame em clínicas especializadas.

Pronto! Agora que você já sabe quando ir ao dentista, a importância das consultas preventivas e como elas funcionam, procure profissionais de confiança para garantir os melhores cuidados com a sua saúde bucal.

Qual foi a última vez que você foi ao dentista? Aproveite a oportunidade para encontrar os melhores profissionais na sua região e agende uma consulta!

Posts relacionados

Deixe um comentário