medicina preventiva medicina preventiva

O que é a medicina preventiva e como ela pode ajudar a ter uma vida mais saudável?

6 minutos para ler

Para você, quando é a hora de ir ao médico? Muitas pessoas têm o hábito de só buscar atendimento quando identificam a presença de algum sintoma. Mas o conceito de saúde não deveria se submeter à condição de ausência de doença. Ele tem uma concepção muito mais ampla, envolvendo bem-estar físico, mental e emocional. É aí que entra a ideia prevenção.

Com esse foco, a medicina preventiva vem crescendo no Brasil e no mundo. É uma abordagem que considera todos os aspectos do corpo humano, incentivando a mudança de hábitos nocivos, tanto para o corpo quanto para a mente.

A prevenção já faz parte da sua rotina? Acompanhe a leitura para entender o que é a medicina preventiva, como ela atua e que atitudes você deve tomar para priorizar a sua saúde.

O que é medicina preventiva?

A medicina preventiva é uma especialidade que tem por objetivo a atuação na prevenção de doenças. Ela tem como foco evitar o desenvolvimento de enfermidades e melhorar a qualidade de vida das pessoas, incentivando-as a fazer exames preventivos e ir com regularidade ao médico.

A evolução para aspectos mais graves de doenças poderia ser evitada se as pessoas se conscientizassem da importância da prevenção. Nesse sentido, o Ministério da Saúde determina como a definição desse termo “todo ato que tem impacto na redução de mortalidade e morbidade das pessoas”.

Fazer as pessoas irem ao médico com mais frequência com o objetivo de realizar exames preventivos ainda é um desafio, tanto para a saúde pública, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), quanto para a iniciativa privada. Estima-se que 72% das pessoas com doenças crônicas só descobriram a presença de uma patologia após o aparecimento de sintomas físicos, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML).

Considerando essa estatística, por meio das estratégias aplicadas pela medicina preventiva, muitas doenças que já se instalaram no organismo podem ter seu desenvolvimento retardado, assim como as possíveis complicações podem ser minimizadas. Trata-se de uma prática que vem crescendo no Brasil e no mundo, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

É uma especialidade que busca substituir o modelo curativo da medicina tradicional, que foca somente a doença. Assim, a manutenção da saúde das pessoas em todos os seus aspectos e o estímulo à qualidade de vida passam a ser o objetivo principal, no que se refere à promoção de saúde.

Qual a importância da medicina preventiva?

O incentivo da medicina preventiva tem impacto imediato na qualidade de vida das pessoas. O estilo de vida moderno, que contribui para o sedentarismo, geração de estresse por excesso de trabalho e má alimentação, pode acarretar o surgimento de doenças. Melhorar as condições de saúde das pessoas e incentivar hábitos mais saudáveis constituem as vantagens mais óbvias da medicina preventiva, destacando sua relevância.

No entanto, a sua importância vai além. A medicina preventiva pode trazer economia para o sistema de saúde do país. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o gasto com o tratamento de doenças é maior que a despesa com pacientes saudáveis.

A diminuição desses custos pode significar investimento maior na qualidade da saúde pública, já que a prevenção gera menos internações hospitalares, menor uso de medicamentos e diminuição de procedimentos invasivos. Há, também, a tendência em reduzir a busca por atendimentos nas emergências.

Dessa maneira, considerando todos esses aspectos, o dinheiro economizado pode ser utilizado para outras frentes, refletindo na melhoria dos sistemas de saúde. Além disso, a especialidade possibilita reduzir o custo com medicamentos e tratamentos, diminuir os índices de ausência no trabalho e aumentar a produtividade.

Seguindo diretrizes do Ministério da Saúde, a medicina preventiva deve atuar em quatro níveis:

  • prevenção primária: busca evitar a ocorrência de doenças, monitorando fatores de risco;
  • prevenção secundária: tem o objetivo de descobrir doenças no início, evitar o seu desenvolvimento e realizar tratamento adequado ainda em seus estágios iniciais;
  • prevenção terciária: visa a diminuir o impacto negativo da enfermidade no paciente, proporcionando a ele qualidade de vida ao administrar sintomas e complicações;
  • prevenção quaternária: quando o quadro já está mais avançado, esse tipo de prevenção busca aplicar métodos para evitar intervenções desnecessárias ou excessivas.

Como a tecnologia atua na medicina preventiva?

Hoje, a tecnologia pode ser uma grande aliada da medicina preventiva. Ela pode ser utilizada para otimizar a promoção de saúde.

É o caso da telemedicina, um recurso que incentiva o paciente a fazer consultas online e, em casos adversos, como a pandemia de COVID-19, que determinou o isolamento social na maior parte deste ano de 2020, se tornou indispensável. A telemedicina permite a realização de teleconsultas. Assim, mesmo longe geograficamente, o paciente pode ser atendido com o intuito de prevenir situações mais sérias.

O que esperar de um especialista em medicina preventiva?

medicina preventiva

A medicina preventiva, geralmente, é uma especialidade exercida por um clínico geral ou por um médico de família e comunidade. Além dos exames regulares para checar a saúde do paciente, ele também tem um papel de educador, pois se dedica a informar as pessoas, incentivar hábitos saudáveis, a boa alimentação e a prática de exercícios físicos.

Dessa maneira, eles monitoram a saúde das pessoas e promovem a conscientização, uma vez que o especialista de saúde preventiva tem como meta manter a saúde da população e evitar o desenvolvimento e a propagação de doenças. Esse profissional é, ainda, responsável pelo diagnóstico e rastreamento precoce de doenças.

Com a identificação de enfermidades em seus estágios iniciais, há a possibilidade de indicar um tratamento mais eficaz, aumentando consideravelmente as chances de cura. Afinal, o prognóstico da maioria das doenças é melhor quando elas são detectadas precocemente. Com o rastreamento, é possível retardar o desenvolvimento de patologias e minimizar complicações.

Já dizia o ditado popular: “prevenir é melhor que remediar”. É importante entender que ir ao médico e fazer exames regulares é um dos melhores investimentos que você pode fazer pela sua saúde. Nesse sentido, a medicina preventiva entra como uma parceira e, por essa razão, precisa ser cada vez mais popularizada. Saúde deve sempre ser uma prioridade.

Gostou do artigo? Curta nossa página no Facebook e tenha acesso a mais informações para assumir um compromisso com a própria saúde!

Posts relacionados

Deixe um comentário