banner_blog_abril
exames cardiológicos exames cardiológicos

Veja os 6 tipos de exames cardiológicos e para que servem

7 minutos para ler

O coração é o principal e o mais relevante músculo do corpo humano. Os seus batimentos geram a energia necessária para que as células sanguíneas possam levar oxigênio para todas as partes do organismo. Ou seja, para se ter um corpo saudável, é necessário estar com o coração em excelente estado.

Geralmente, as pessoas não fazem exames e não usufruem dos benefícios da medicina preventiva. Portanto, só vão ao médico quando notam alguma irregularidade na saúde. Em muitos casos, os pacientes descobrem que sofrem de cardiopatia quando a doença já está em uma fase avançada.

Se o seu coração está necessitando de cuidados, não tenha medo! A maioria das doenças cardiovasculares podem ser prevenidas e identificadas por meio da realização periódica de exames cardiológicos. Você quer saber quais são os tipos e para que servem? Continue a leitura!

Quais são os exames cardiológicos mais recomendados pelos médicos?

Existem diversos tipos de exames cardiológicos, porque cada um deles foi criado para mostrar determinado aspecto da saúde do seu coração. De acordo com o caso clínico do paciente, é responsabilidade do médico indicar quais exames devem ser feitos, por exemplo:

  • eletrocardiograma;
  • ecocardiograma;
  • holter;
  • M.A.P.A.;
  • teste de esforço;
  • raio-X do tórax.

É sempre importante salientar que, além dos exames clínicos, é essencial que o médico conheça o histórico de saúde familiar e os hábitos do paciente. Sobretudo, algumas cardiopatias são resultantes de péssimos hábitos alimentares e comportamentais, ou são derivadas dos genes da pessoa.

1. Eletrocardiograma

O eletrocardiograma (ECG) é um exame descomplicado e indolor. Serve para calcular o movimento elétrico do seu coração por via de eletrodos colados na derme. Ele é capaz de captar e exibir a frequência e o ritmo cardíaco do paciente, produzindo ondas (gráficos desenhados pelo aparelho) que ajudam o médico especialista a ler a condição do órgão do paciente.

O resultado do exame auxilia o médico a dar um diagnóstico certeiro, pois o exame não é solicitado apenas para casos graves. É comum o profissional fazer o pedido de realização de um ECG em uma consulta do cotidiano — um check-up — porque ele tem a capacidade de identificar problemas quase “invisíveis” aos olhos humanos.

O eletrocardiograma identifica a presença de arritmias, sopros, infartos, paradas cardíacas e outros.

2. Ecocardiograma

O ecocardiograma é um exame de imagem que mostra a movimentação do coração. Mediante o ultrassom, o exame mostra as características do órgão (formato, movimento e grossura das paredes, tamanho, funcionamento das válvulas etc.) e informa se há presença de líquido ao redor do coração (derrame pericárdico).

É um exame que serve para ver se o coração está dentro dos padrões de normalidade. É indicado para pacientes com ou sem doenças cardiovasculares, adultos e crianças. Existem vários tipos de ecocardiograma:

  • ecocardiograma transtorácico;
  • ecocardiograma fetal;
  • ecocardiograma com doppler;
  • ecocardiograma transesofágico;
  • ecocardiograma sob estresse.

Assim, permite que o cardiologista analise qualquer disfunção que haja no órgão e, caso seja necessário, dê início a um tratamento ou, em casos mais severos, realize algum tipo de procedimento cirúrgico.

3. Holter

Holter é uma pequena máquina, um dispositivo portátil, que serve para captar o ritmo cardíaco. Assim como o eletrocardiograma, é composto por eletrodos fixados na pele. É possível que o médico peça para o paciente usar o aparelho por um ou dois dias seguidos. Em outras palavras, é um eletrocardiograma de longa duração.

Normalmente, esse método é utilizado quando o eletrocardiograma tradicional não oferece ao médico informações suficientes para um diagnóstico correto e completo. Usualmente, esse recurso é utilizado em pacientes que apresentam sinais e sintomas de um ritmo cardíaco irregular (arritmia).

Quando termina o tempo de monitoramento, o paciente deve voltar ao consultório e devolver o dispositivo para que seja feita uma análise detalhada do resultado. É um procedimento indolor e não é invasivo.

4. M.A.P.A.

M.A.P.A. é uma sigla para o termo “Medida Ambulatória da Pressão Arterial”. É um aparelho semelhante a um esfigmomanômetro, que monitora a pressão do paciente por 24 horas.

Ele é um dispositivo eletrônico capaz de inflar — tal qual o esfigmomanômetro — e registrar os dados sobre a pressão arterial do usuário na memória do próprio aparelho. Depois, os dados são salvos em um computador para que o médico possa examiná-los.

Suas funções principais são:

  • diferenciar o que é uma hipertensão verdadeira de algumas hipertensões transitórias e não patológicas;
  • avaliar se a medicação que o paciente está tomando realmente está sendo eficaz;
  • controlar e avaliar a resposta do organismo ao tratamento que está em andamento no corpo.

O exame pode ser feito em pacientes maiores de idade que apresentam suspeita de hipertensão, ou em pacientes já hipertensos que fazem tratamento com remédios.

exame cardiológico

5. Teste de esforço

O teste de esforço físico ou teste ergométrico é um exame cardiológico que consiste na avaliação do desempenho fisiológico de um paciente durante uma situação provocada de esforço físico, enquanto a pessoa está conectada a aparelhos que aferem a pressão e a eletrodos (colados no tórax e nos membros superiores) de eletrocardiograma.

O exame pode ser realizado em uma bicicleta, esteira (mais usados na prática clínica) ou uma piscina. Ele tem várias funções, como:

  • aferir o condicionamento físico e verificar a frequência cardíaca e a pressão arterial a partir dos esforços realizados;
  • ver se ocorrem arritmias cardíacas por causa do exercício;
  • avaliar se aparecem eventuais sintomas de angina, palpitações ou dispneia, por exemplo.

O principal objetivo do exame é fazer um diagnóstico precoce de doenças coronarianas obstrutivas. É um teste fundamental para exames rotineiros de check-up. Além disso, não se deve realizar o exame em jejum e nem com o estômago muito cheio. Deve-se preferir a sua realização duas horas após a última refeição.

6. Raio-X do tórax

O raio-X é um exame que analisa as características da imagem do coração (e os órgãos e ossos aos redores) para verificar com precisão a presença de alguma alteração ou defeito. Esse exame é realizado com paciente de pé e imóvel, para que a imagem saia perfeita. O raio-X é requisitado no check-up ou é utilizado como um exame inicial para avaliar um possível caso de problema cardiovascular.

Qual é a importância de fazer o check-up cardiológico?

O coração e o cérebro cumprem o papel de maior responsabilidade na manutenção do bem-estar do corpo. Afinal, o sangue circula em todas as regiões do organismo. Por isso, é essencial fazer um check-up cardiológico, de acordo com a recomendação do seu médico.

Em suma, realizar o check-up e manter em dia os exames cardiológicos ajuda a descobrir se há algum tipo de alteração que possa virar um problema futuramente. O diagnóstico precoce salva vidas. Para além dos exames cardiológicos, vale a pena ressaltar que é fundamental contar com um bom cardiologista para garantir a saúde do coração.

A AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil, oferecendo diversas especialidades como cardiologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia.

Se você gostou deste conteúdo e deseja investir mais na sua saúde, agende já sua consulta conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário