Saiba quais os tipos de conjuntivite e como cuidar!

6 minutos para ler

A inflamação da conjuntiva dos olhos é chamada de conjuntivite. A conjuntiva é uma membrana fina e translúcida, que reveste a parte anterior da esclera (parte fibrosa do olho, conhecida como “branco do olho”) e o interior das pálpebras.

Essa alteração é bastante comum, sendo uma das principais queixas oftalmológicas nos consultórios. Isso porque a inflamação causa bastante desconforto. Normalmente a evolução da doença é benigna, não oferecendo perigo. Mas é fundamental procurar um médico oftalmologista para diagnosticar o tipo de conjuntivite e realizar o tratamento correto.

As causas de conjuntivite podem ser diversas e, por esse motivo, a terapia difere para cada caso. Para ajudar você a se informar sobre o assunto, preparamos este post que explica quais são as principais tipos de conjuntivite, como são os sintomas e qual é o tratamento mais indicado nesses casos. Confira!

Quais são os tipos de conjuntivite?

A conjuntivite é uma doença que pode surgir pela ação de agentes tóxicos, alergias, bactérias, fungos, vírus, entre outras causas. Os sintomas são bastante semelhantes, mas existem alguns detalhes que diferenciam os agentes causais e podem ajudar o médico a elucidar o diagnóstico.

Conjuntivites infecciosas

Quando o corpo sofre uma infecção significa que micro-organismos capazes de causar doenças conseguiram invadir o sistema imunológico de uma pessoa. Nesse caso, podemos destacar as bactérias, os vírus e os fungos como agentes causadores de conjuntivite.

Conjuntivite bacteriana

A conjuntivite bacteriana não é tão comum quanto a conjuntivite viral e o seu quadro costuma ser mais intenso. Ela ocorre quando bactérias penetram na camada externa do olho, produzindo toxinas e uma resposta do próprio corpo, gerando a inflamação.

A principal forma de contágio é de uma pessoa para a outra, por meio do compartilhamento de objetos ou do contato com secreções. Por esse motivo é tão importante lavar as mãos constantemente. Mais raramente, as bactérias podem migrar de uma infecção do ouvido ou da garganta para o globo ocular. Os sintomas típicos são:

  • dor ou ardor ocular;
  • coceira;
  • vermelhidão;
  • secreção espessa de coloração branco-amarelada.

Devido ao acúmulo de secreção durante a noite, os olhos podem amanhecer grudados, exigindo uma limpeza suave. Pode haver, ainda, edema (inchaço) das pálpebras ou dos gânglios linfáticos atrás das orelhas.

É interessante salientar que a conjuntivite não altera a visão. Na realidade, ela fica prejudicada devido ao inchaço, mas a pessoa não nota a visão embaçada ou escura, por exemplo. Alterações visuais podem demonstrar um problema mais sério, que deve ser avaliado rapidamente pelo médico oftalmologista.

Conjuntivite viral

A conjuntivite do tipo viral é a mais comum. Ela ocorre quando pessoas contaminadas pelo vírus expelem gotículas ao espirrar ou tossir, assim como pelo contato íntimo com o doente. Existem vários tipos de vírus que causam essa alteração na conjuntiva, sendo que geralmente o quadro é mais leve. Nesse caso, destacam-se os vírus que causam gripes e resfriados.

Os sintomas mais comuns são olhos avermelhados, lacrimejando e com coceira, embora possa haver presença de secreção transparente e fina em pequena quantidade. Muitas vezes, a pessoa afetada também desenvolve sintomas gripais, como corrimento nasal, tosse e dor de garganta.

Conjuntivite alérgica

A conjuntivite alérgica é uma das principais causas da coceira no olho. Esse problema não é contagioso, visto que não é provocado por agentes infecciosos, mas por fatores irritantes como:

  • ácaros;
  • fumaça de cigarro;
  • poeira;
  • pólen;
  • pelos de animais.

As partículas alérgenas, ao entrar em contato com os olhos, provocam uma reação do sistema imunológico, o que inicia uma inflamação. Dessa forma, além da coceira, também há lacrimejamento, vermelhidão, desconforto na visão e sensação de areia dentro dos olhos.

Conjuntivite tóxica

A conjuntivite tóxica surge quando produtos entram em contato com o globo ocular, irritando os olhos. Essas substâncias podem ser:

  • venenos;
  • produtos de limpeza;
  • inseticidas;
  • xampus e condicionadores.

O quadro pode variar de acordo com a quantidade de produto e a sensibilidade dos olhos, mas costuma aparecer vermelhidão, irritação e coceira. Há perigo para a visão, uma vez que os produtos podem penetrar no globo ocular e atingir as estruturas oculares. Por esse motivo, é fundamental procurar um oftalmologista com urgência.

Como é o tratamento para cada caso?

Conjuntivites infecciosas

O tratamento para qualquer infecção bacteriana é feito com antibióticos. No caso da conjuntivite, geralmente o médico opta por colírios que diminuem a inflamação e contém a medicação que elimina as bactérias. No entanto, em casos mais graves, pode-se fazer uso de antibióticos sistêmicos, por via oral ou injetável. Também são prescritos outros tipos de colírios, que aliviam a sensação de ardor ou aspereza e lubrificam os olhos, além de medicamentos que melhoram a dor e a inflamação, se necessário.

Já na conjuntivite, não é necessário usar nenhum colírio antibiótico ou medicamento específico. Isso porque esse tipo de infecção é combatida mais facilmente pelo próprio organismo. O objetivo é amenizar os sintomas e, para tanto, pode-se usar remédios para dor, anti-inflamatórios e colírios lubrificantes, a critério do médico.

Conjuntivite alérgica

O primeiro passo para tratar a conjuntivite alérgica é evitar o contato com os alérgenos. Além disso, é importante manter os ambientes limpos, evitar lugares fechados e com cheiros fortes e o acúmulo de poeira.

Em seguida, o médico pode prescrever colírios antialérgicos ou optar por pela medicação por via oral, caso existam outros sintomas associados. Além disso, usar colírios lubrificantes, a lavar delicadamente e fazer compressas com água gelada podem aliviar os sintomas da conjuntivite alérgica.

Conjuntivite tóxica

A conjuntivite tóxica é um caso mais grave, devendo ser tratada com urgência pelo médico. Podem ser feitas lavagens com produtos específicos no centro de saúde para eliminar os resíduos tóxicos e prescritas medicações para tratar e aliviar os sintomas.

Os olhos possuem estruturas extremamente delicadas. Dessa forma, em nenhum momento devem ser usados medicamentos que não forem prescritos pelo médico. Colírios usados de forma indiscriminada, por exemplo, podem mascarar os sintomas e agravar o quadro.

E então, entendeu quais são os tipos de conjuntivite e os tratamentos adequados para cada uma? Como visto, os sintomas são bastante semelhantes, e só o oftalmologista será capaz de definir qual é a causa e o melhor meio de tratar. Por esse motivo, se os olhos ficarem vermelhos, com coceira, inchaço ou sensação de areia, deve-se procurar um médico imediatamente.

Se você gostou deste post e quer ficar por dentro de outros conteúdos da área de saúde, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe uma resposta