banner_blog_abril
sinusite ou rinite sinusite ou rinite

Sinusite ou rinite: qual a diferença e como saber qual eu tenho?

10 minutos para ler

Muitas vezes, temos sintomas como dor de cabeça, coriza, espirro, tosse e obstrução nasal, mas não sabemos identificar o que é. Seria gripe, resfriado, sinusite ou rinite? Por sinal, as duas últimas são facilmente confundidas entre si, prejudicando a busca por tratamento adequado. Mas é fundamental saber a diferença entre rinite e sinusite para buscar o melhor tratamento.

Nos dois casos, a automedicação é bastante frequente, agravando o problema, em algumas situações. No início, o medicamento até melhora os sintomas, porém, uma crise aguda pode se tornar um problema crônico, e bem mais difícil de ser tratado.

Por isso, o melhor é procurar um médico para fazer o tratamento adequado para sinusite ou rinite. No entanto, como saber quando é hora de buscar ajuda? Neste artigo, explicamos os sintomas e as causas dessas doenças e quais os principais procedimentos disponíveis. Acompanhe!

O que é sinusite?

A sinusite é uma inflamação da região frontal da cabeça, nas cavidades ósseas em torno do nariz, dos olhos e das maçãs do rosto. Essa área é conhecida como seios da face ou sinos, daí o nome da doença.

Ela costuma acontecer de maneira secundária, decorrente de uma infecção respiratória ou de um quadro alérgico que bloqueia a drenagem de secreção na região. Assim, os tratamentos usados para a infecção inicial tendem a não funcionar mais.

Além disso, existem dois tipos diferentes de sinusite:

  • sinusite aguda: os sintomas permanecem por um período de até 12 semanas;
  • sinusite crônica: o problema persiste por mais de 12 semanas, podendo ser reincidente ou constante.

O que é rinite?

Já a rinite é uma inflamação da mucosa nasal, de diferentes origens. Ou seja, um resfriado pode ser considerado uma rinite de origem viral. Esses casos costumam ser agudos, desaparecendo com o tratamento para o vírus. No entanto, as mais comuns são as rinites alérgicas, causadas por uma exposição a substâncias alérgenas diversas, como ácaros, fumaça de cigarro, produtos químicos, entre outras.

Inclusive, essa diferenciação dos tipos de rinite vai ser decisiva para o tratamento adequado. A rinite ainda pode ser aguda, com crises mais intensas, ou crônica. Geralmente, a rinite alérgica é crônica, aparecendo sempre que a pessoa entra em contato com um agente irritante.

Quais os tipos de rinite?

A rinite pode ser aguda ou crônica. Os sintomas da primeira não passam de dez dias, já a rinite crônica pode durar até três meses. Existem três tipos de rinite, que veremos, a seguir.

Rinite infecciosa

Esse tipo de rinite é mais conhecido como resfriado, e acontece quando fungos e bactérias se alojam no trato nasal de forma aguda. Geralmente, a rinite infecciosa dura de sete a dez dias, não perdurando os sintomas e o mal-estar por longos períodos.

Rinite alérgica

A rinite alérgica se dá devido à inflamação nas mucosas da garganta e do nariz. Geralmente, esse tipo de rinite é uma reação do organismo a partículas estranhas, como pólen, poeira, fumaça, fungos, produtos químicos e pelos de animais domésticos. A doença pode aparecer em crianças ou na fase adulta, e tem a hereditariedade como o principal fator de risco.

A rinite alérgica não tem cura, mas tratamentos medicamentosos e imunoterapias ajudam no controle da doença, amenizando as crises e aumentando a qualidade de vida do paciente. Esse tipo de rinite causa muita coceira no nariz, lacrimejamento nos olhos, congestão nasal, coriza e espirros.

Rinite mista

A rinite mista é causada por mais de um agente, ou seja, a pessoa pode se infectar com um vírus e uma bactéria simultaneamente. Nesses casos, o paciente apresenta inflamação na mucosa nasal devido à sensibilidade aos agentes alérgenos e, também, por mudanças repentinas de temperatura.

rinite ou sinusite causa falta de ar

Quais as diferenças entre rinite e sinusite?

A principal diferença entre sinusite e rinite é o local onde elas acontecem. Enquanto a rinite é uma inflamação das fossas nasais, a sinusite acontece na face, em torno e acima do nariz. Além disso, os sintomas da sinusite costumam ser mais graves, como veremos adiante.

Porém, a rinite também incomoda bastante, sendo uma manifestação mais aguda. Outra diferença é que a sinusite pode ser mais difícil de ser tratada. A rinite, principalmente, a alérgica, tende a cessar logo que a pessoa deixa de ter contato com o alérgeno e faz o uso de medicamentos antialérgicos.

Quais são os sintomas de cada uma?

Ainda que as pessoas não saibam se é sinusite ou rinite, na maioria dos casos, na verdade, elas têm sintomas um pouco diferentes, até mesmo, por se manifestarem em locais distintos. Dessa forma, temos como sintomas mais comuns da rinite:

  • espirros;
  • coceira intensa no nariz;
  • coriza, com secreção clara e abundante;
  • obstrução nasal.

Algumas pessoas também podem sentir coceira e lacrimejamento nos olhos, além de uma irritação no ouvido, no céu da boca e na garganta. Em casos mais raros, decorrentes de infecções virais, pode acontecer sangramento nasal. Já a sinusite pode apresentar os seguintes sintomas:

  • pressão ou dor na face;
  • redução ou perda do olfato;
  • dor de ouvido e no maxilar;
  • tosse;
  • febre;
  • inflamação na garganta;
  • mau hálito;
  • náusea;
  • fadiga.

Quais são as causas de cada uma?

A sinusite pode ser provocada por diferentes agentes infecciosos, como bactérias, fungos, vírus, poeira, cheiros fortes e até pelo choque térmico. Mudanças bruscas de temperatura podem motivar uma crise aguda. Outros fatores podem aumentar o risco à doença, como:

  • pólipos nasais, que bloqueiam a passagem de ar do nariz para os seios da face;
  • reações alérgicas e alergias respiratórias crônicas;
  • desvio de septo nasal;
  • trauma na face, como a fratura de algum osso que contribua para uma obstrução das vias nasais;
  • baixa imunidade, inclusive, relacionada a doenças;
  • infecções odontológicas;
  • tabagismo;
  • infecções respiratórias, como gripes e resfriados comuns.

Por sua vez, a rinite também pode ser motivada por agentes infecciosos, principalmente, os dispersos no ar, que entram nas cavidades nasais. É o caso de ácaros na poeira, pelos de animais e alguns alimentos.

O fato é que cada pessoa pode reagir a substâncias diferentes. Assim, a rinite também pode ser desencadeada por cheiros fortes, poluição do ar, uso de alguns medicamentos e entrada de ar frio e seco no nariz. Outros fatores de risco são:

  • histórico familiar da doença;
  • existência de outras doenças alérgicas, como asma, conjuntivite e dermatites;
  • baixa imunidade;
  • tabagismo;
  • variação de temperatura ambiente;
  • desvio de septo e outras deformações no nariz.

rinite ou sinusite

Quais são os tratamentos de cada uma?

O diagnóstico de sinusite ou rinite é principalmente clínico, com a avaliação dos sintomas e o exame físico pelo médico. Em alguns casos, podem ser solicitados outros exames, como um teste alérgico, uma radiografia da face ou uma endoscopia nasal.

No tratamento para sinusite, depois de confirmado o diagnóstico, o médico pode recomendar algumas medidas para lidar com os sintomas. São elas:

  • aplicação de solução salina nas narinas para dissolução das secreções nasais;
  • uso de corticoides nasais para tratar a infecção local;
  • corticoides orais ou injetáveis, quando os sintomas são mais intensos;
  • descongestionantes líquidos, em comprimidos ou em sprays nasais;
  • antibióticos, quando a sinusite é causada por bactérias;
  • procedimento cirúrgico para desobstrução da face.

O médico vai analisar cada caso para indicar qual o tratamento mais indicado. A cirurgia, por exemplo, costuma ser recomendada apenas para os casos crônicos e persistentes, depois que outras medidas não foram eficientes.

A rinite é um pouco mais difícil de ser tratada. Geralmente, apenas os sintomas são solucionados por meio de antialérgicos, descongestionantes nasais e higienização das vias respiratórias superiores, dependendo do tipo de rinite.

Por isso, para os casos crônicos, o tratamento de longo prazo inclui medidas de controle ambiental, em que se diminuem os riscos de exposição a agentes alérgenos. Também pode ser necessário o uso de medicação em menor quantidade, como no caso dos corticoides nasais, que evitam o aparecimento das crises.

Como lidar com as crises e rinite e sinusite?

Para ajudar a lidar com as crises de rinite e sinusite, alguns cuidados são importantes e fazem toda a diferença na recuperação de cada uma. Use umidificador ou bacias com água dentro dos cômodos da casa para deixar o ambiente mais úmido, melhorando a respiração. Utilizar soro fisiológico para limpar a sujeira e o acúmulo de secreção no nariz ajuda a fluidificar o catarro.

Outra dica é inspirar vapores de ervas, como eucalipto e camomila. Coloque algumas folhas das ervas de sua preferência em uma bacia com água quente e aspire o vapor. Essa é uma ótima alternativa para aliviar a congestão nasal causada pela rinite e pela sinusite. Além disso, beba bastante água para ajudar a umidificar os seios nasais.

Existe prevenção para esses problemas?

Vimos que a rinite alérgica é provocada pelo contato com agentes alérgenos, como poeira, fungos e cheiros fortes. Para que as crises desse tipo de rinite sejam evitadas, é preciso mudar pequenos hábitos e dar atenção a alguns detalhes:

  • evite carpetes, cortinas, almofadas, tapetes ou qualquer outro item decorativo que possa acumular poeira;
  • retire a poeira dos móveis regularmente, apenas com pano úmido. Evite vassoura ou espanador, que podem espalhar ainda mais o pó;
  • mantenha os cômodos arejados para evitar a proliferação de fungos e ácaros;
  • use máscaras durante a limpeza;
  • use produtos sem perfume ou neutros;
  • troque a roupa de cama uma vez por semana e coloque o colchão para arejar no sol;
  • evite ficar ao ar livre em dias com muito vento, principalmente, no outono ou na primavera;
  • mantenha o pelo do seu animal de estimação sempre aparado e limpe gaiolas pelo menos duas vezes por semana.

Para prevenir a sinusite, é importante evitar locais com poluição e fumaça de tabaco, controlar bem as alergias (caso as tenha), evitar colocar o dedo no nariz, para não levar para a região microrganismos causadores de infecções, além de reforçar suas defesas com uma boa alimentação e atividade física.

Portanto, a principal diferença entre rinite e sinusite é o local onde elas acontecem. Mas, independentemente da doença, o mais importante é procurar um médico o quanto antes para realizar o tratamento mais adequado. Além disso, é fundamental prevenir as crises, evitando o contato com substâncias irritantes e mantendo a casa sempre limpa.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais!

A AmorSaúde é a rede de clínicas populares que mais cresce no Brasil, oferecendo diversas especialidades como cardiologia, oftalmologia, odontologia e ginecologia.

Se você gostou deste conteúdo e deseja investir mais na sua saúde, agende já sua consulta conosco!

Posts relacionados

3 thoughts on “Sinusite ou rinite: qual a diferença e como saber qual eu tenho?

    1. Oi Danielle, Bom dia. Tudo bem? Importante uma ida ao médico para todos os esclarecimentos e cuidados, hein? Que tal fazer isso conosco? Marque já a sua consulta! Será um prazer te atender em nossa clínica! 😍

    2. Eu tenho os dois. E terrível a dor e o desespero, já fiz vários tratamentos prescritos por médicos mas nunca resolveu. Vou completar 2 anos que sinto dores na face e o nariz sempre congestionado e sem secreção

Deixe um comentário