Ultrassom: conheça os principais tipos e saiba por que esse exame é tão importante

6 minutos para ler

No contexto da área da saúde, o avanço da tecnologia possibilita cada dia mais a evolução na assistência prestada. Para diagnóstico, o exame de imagem é um recurso essencial — seja a radiografia, a tomografia, a ressonância ou a ultrassonografia.

Cada um deles apresenta características e especificidades que os tornam mais adequados para determinadas necessidades. As radiografias, por exemplo, são fundamentais para análise do tórax. Já a ressonância possibilita uma excelente análise do crânio.

Mas e a ultrassonografia? Como ela é realizada? Quais são as suas principais utilidades? Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

Em que consiste o exame?

Ao contrário do que muitos pensam, o ultrassom não emite radiação. Seu princípio básico é a utilização de ondas sonoras e a reflexão delas. O transdutor é o aparelho responsável por emitir tais ondas na localização em que é diretamente posicionado. Embora sejam ondas sonoras, elas não são audíveis devido à alta frequência aplicada.

A reflexão ocorre de maneira diferente de acordo com cada tecido corporal. As partes moles, retratadas principalmente pelas vísceras, conseguem absorver, refletir e desviar as ondas. A imagem formada por isso é caracterizada como uma área ecogênica heterogênea.

Por outro lado, os líquidos proporcionam reflexões mínimas, sendo, então, denominados de hipoecoicos. Já o ar e os ossos oferecem grande dificuldade para a passagem das ondas, sendo chamados de hiperecoicos. 

Entre o transdutor e a pele da pessoa, é aplicado um gel que tem como finalidade possibilitar maior deslizamento e evitar com que se formem acúmulos de ar prejudiciais para emissão das ondas.

Por fim, há a conversão das ondas refletidas em imagem, que é analisada pelo médico especialista em diagnóstico por meio de tais exames. Embora apenas o médico possa fazer o laudo, a realização do exame é autorizada por técnicos em radiologia.

Por que fazer um ultrassom?

Diante de tantas opções de exames, por qual motivo a primeira escolha, em alguns casos, seria a ultrassonografia? Antes de tudo, por ser um exame rápido e barato. O aparelho é portátil e pode ser implementado, por exemplo, em ambulâncias.

Pensando no conforto do paciente, há poucos pré-requisitos para que o exame possa ser realizado. No geral, também não é um método invasivo, pois não requer agulhas ou incisões e não causa dor no paciente. Reiteramos, ainda, que não expõe os envolvidos à radiação, fator prejudicial para as células do organismo.

A visualização proporcionada pelo exame permite uma detecção apurada da presença ou ausência de líquidos. Além disso, o ultrassom possibilita a análise de tecidos moles, como: músculos, órgãos, preenchimento, dentre outros. Na radiografia, por exemplo, eles não são bem definidos. Por fim, após a realização do exame não há efeitos colaterais.

Tipos de ultrassom

De maneira geral, o exame de ultrassom convencional possibilita a obtenção de uma imagem em duas dimensões. Veja, a seguir, alguns tipos específicos e quando são utilizados.

Doopler

Também conhecido como ecodoppler, este tipo tem como principal finalidade analisar como está o fluxo sanguíneo. Para isso, o transdutor percorre o caminho dos vasos de interesse (artérias ou veias), as ondas atingem as hemácias e são refletidas. Nesse caso, sinais como a formação de coágulos são facilmente percebidos.

Ecocardiograma transesofágico

A finalidade do ecocardiograma transesofágico é fazer análise das câmaras cardíacas, das valvas e do fluxo sanguíneo no miocárdio. Ele é transesofágico por posicionar o equipamento no esôfago, na região adjacente ao coração.

Elastografia

O intuito da elastografia é analisar a consistência das estruturas. Para isso, as ondas sonoras são emitidas e proporcionam a vibração dos tecidos ao entrarem em contato com eles. O registro da vibração indica presença de fibrose, por exemplo, importante no diagnóstico de cirrose hepática.

Transvaginal

O transvaginal analisa, principalmente, as estruturas do sistema reprodutor feminino, como: útero, ovários e vasos pélvicos. Neste caso, o transdutor precisa ser inserido no canal vaginal. Sendo assim, o exame só pode ser realizados em mulheres não virgens.

Quais são os exames mais comuns?

Agora que você conhece alguns tipos, abordaremos brevemente sobre os exames mais comuns. Confira!

Abdome total e abdome superior

A ultrassonografia permite uma importante análise da cavidade abdominal e dos órgãos contidos nela. Para isso, há a divisão entre abdome superior e abdome total:

  • abdome superior: fígado, vesícula biliar, pâncreas e baço;
  • abdome total: além dos superiores, inclui rins, adrenais, artéria aorta, veia cava, bexiga urinária e a cavidade propriamente dita.

O exame é fundamental para detecção de líquidos em suspeita de trauma interno, tumores quando identificadas massas, cálculos renais e biliares caso haja manifestação clínica, dentre várias outras características.

Ecocardiografia

Conforme já mencionado, a ecocardiografia tem como objetivo a análise do coração, mais precisamente das câmaras cardíacas, da circulação local e do funcionamento das valvas. Embora possa ser realizado com o método transesofágico, ele não é exclusivo, podendo utilizar o transdutor sobre a pele na área cardíaca.

Mamas

No caso das mamas, o ultrassom é ideal para complementar a mamografia. Ele permite uma análise dos ductos mamários, bem como de nodulações. Ao detectar a densidade dos nódulos, ele pode sugerir se são sólidos ou preenchidos por líquido, oferecendo mais informações para o diagnóstico preciso.

Vias urinárias

A ultrassonografia também é amplamente utilizada para detectar disfunções no sistema urinário. A análise dos rins e da bexiga, seja ela cheia ou até mesmo após a micção, possibilita a detecção de alguma patologia.

Obstétrico

Por fim, o ultrassom mais conhecido pela população é aquele com finalidade obstétrica. Nesse caso, é feita a ultrassonografia pélvica, que permite acompanhar a gestação. Mais importante que saber o sexo é monitorar a evolução do desenvolvimento do feto, identificando, por exemplo, se as medidas e órgãos estão de acordo para a idade gestacional.

Concluímos, enfim, que a ultrassonografia é um exame fundamental para a medicina, seja pela sua praticidade, seja pelo excelente custo-benefício. O baixo preço na realização não é proporcional à qualidade do exame, ou seja, embora ele seja barato, pode fornecer informações essenciais para diagnóstico e determinação de condutas.

Precisa realizar um exame de ultrassom e não sabe onde recorrer? Entre em contato conosco agora mesmo e conheça as soluções da AmorSaúde!

Posts relacionados

Deixe um comentário