Outubro Rosa: conheça a história da campanha que movimenta o país na luta contra o câncer de mama

6 minutos para ler

Quando chega o mês de outubro, os consultórios médicos — assim como escolas, museus e pontos comerciais — ganham detalhes rosas na decoração. Enquanto isso, os profissionais das mais diversas áreas, como da saúde e da educação, usam uma fitinha rosa em forma de laço.

Tudo isso tem um principal objetivo: trazer conhecimento sobre o câncer de mama para a população, além de servir como um lembrete para aqueles que já reconhecem a causa. Mas você sabe exatamente o que é Outubro Rosa e como surgiu a sua história?

Neste artigo, abordaremos os principais aspectos dessa campanha e como ela ajuda na conscientização sobre o câncer de mama. Continue a leitura e saiba mais!

O que é Outubro Rosa?

Desde os anos 90, o mês de outubro é conhecido mundialmente como o período reservado especialmente para a campanha de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Dessa forma, o grande objetivo desse movimento é compartilhar informações sobre essa doença e, mais recentemente, sobre o câncer no colo do útero também.

O laço rosa é um símbolo internacional, sendo utilizado por organizações públicas e privadas ao longo de todo o mês. Inclusive, ao entrar no ônibus, é possível ver motoristas com essa fitinha. Além disso, as fachadas de diversos locais ficam iluminadas com a luz rosa para indicar que esses estabelecimentos apoiam a causa.

A prevenção precoce do câncer mama é decisiva na promoção de um tratamento mais eficaz da doença, por isso a campanha se revela tão necessária. Além disso, o diagnóstico adiantado pode impedir que o câncer se espalhe para outros órgãos. Dessa forma, ao ser detectada em fase inicial, na maioria das vezes, as chances de tratamento e cura da paciente aumentam.

Como surgiu a campanha?

A campanha do Outubro Rosa foi inicialmente organizada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Essa empresa deu aos participantes um laço rosa para que eles participassem da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York por sobreviventes do câncer de mama.

No entanto, o movimento ganhou força apenas em 1997, quando as cidades de Lodi e Yuba, nos Estados Unidos, criaram atividades com o objetivo de realizar o diagnóstico e prevenção do câncer de mama. Assim, o mês de outubro foi selecionado como a data oficial das ações em prol da causa.

No Brasil, a primeira iniciativa marcante ocorreu em São Paulo, no dia 2 de outubro de 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera foi iluminado com a cor rosa.

Quais são as contribuições do Outubro Rosa?

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o sucesso da campanha Outubro Rosa é tão grande que aumentou em 37% o número de mamografias realizadas no país.

Antes, existia a crença de que a mamografia doía muito e, por isso, muitas mulheres tinham medo de fazê-la. Por meio do movimento, a conscientização da doença se espalhou pelo Brasil e, a cada ano, aumenta o número de pessoas que decidem tentar prevenir e diagnosticar a doença precocemente.

Quais são os dados sobre o câncer de mama no Brasil?

Atrás apenas do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama é o que mais mata. Apenas em 2016, essa doença fez 16.069 vítimas fatais. Estima-se, ainda, que a cada 100 mulheres, 56,33 novos casos podem aparecer.

Por isso, mulheres com idades entre 40 e 69 anos são estimuladas a realizar a mamografia. No entanto, para quem já tem histórico familiar da doença, é importante fazer o exame ainda que não apresente idade de risco.

Por mais que o autoexame seja importante, ele não é capaz de identificar precocemente o câncer de mama. Isso porque os nódulos se formam apenas quando o estágio da doença está avançado. Geralmente, uma mulher que não entende muito do assunto pode identificar um nódulo apenas com, aproximadamente, 2 cm, o que indica que ele estava em formação há 20 anos.

Quais são os fatores de risco?

Quando o assunto é Outubro Rosa, muitas pessoas questionam o porquê dessa campanha ser voltada, principalmente, para as mulheres. Isso acontece porque o gênero é o primeiro fator de risco do câncer de mama, pois o aspecto hormonal é decisivo nesse caso.

Então, pessoas do sexo feminino costumam ter o seio mais protuberante e maior quantidade hormônios femininos. Sendo assim, a cada homem que descobre ter câncer de mama, existem 100 mulheres diagnosticadas com a doença.

A menstruação precoce e a gestação tardia são outros fatores que podem provocar o câncer de mama, devido ao tempo de exposição em relação aos hormônios. No entanto, o maior fator de risco é ter pessoas na família com o histórico da doença.

Um caso muito comentado no mundo publicitário foi o da atriz Angelina Jolie, cuja mãe e tia tiveram câncer de mama. Nesse contexto, como as chances de desenvolver o mesmo problema eram muito altas, ela decidiu fazer a cirurgia preventiva para retirada de mamas, que reduz em 90% o risco de surgimento da doença.

Como fazer a prevenção da doença?

Por ser multifatorial, ou seja, ter diversas causas para o surgimento, nem sempre existe a possibilidade de evitar o aparecimento do câncer de mama. Ainda assim, é importante tentar preveni-lo da forma que for possível.

Nem sempre é necessário tomar medidas radicais como o exemplo mencionado, uma vez que a predisposição para a doença e seus tratamentos variam de acordo com cada caso. Hábitos como consumir menos bebidas alcoólicas, praticar exercícios físicos, dormir bem, evitar o consumo de anticoncepcionais por muito tempo e amamentar por 12 meses auxiliam na prevenção da doença.

Então, agora que você já sabe o que é o Outubro Rosa e a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, que tal agendar uma mamografia? É recomendado que esse exame seja feito, pelo menos, a cada dois anos.

Se você já participou de alguma ação do Outubro Rosa ou conhece alguma história de superação do câncer de mama, compartilhe no espaço de comentários abaixo! Assim, podemos espalhar a conscientização sobre a doença e aumentar a adesão das pessoas ao movimento.

asso a passo aprenda a fazer o autoexame de mama

Posts relacionados

Deixe uma resposta