Saúde da família: 7 dicas para ter uma vida saudável

6 minutos para ler

Provavelmente você já procurou por dicas para ter uma vida saudável e sabe a importância de adotá-la para ter benefícios tanto físicos quanto emocionais. No entanto, nem sempre é muito simples realizar essa mudança, ainda mais quando se pretende fazer isso junto com a família.

Afinal, com a rotina familiar corrida, em que cada um tem horários diferentes para trabalhar ou estudar, pode ficar complicado fazer essa conciliação. No entanto, isso não significa que o cuidado com a saúde deve ser deixado de lado.

Sendo assim, para ter uma vida mais saudável em família, é importante ter planejamento, organização e dedicação. Pensando em ajudar você nessa tarefa, daremos, a seguir, as principais orientações sobre o assunto. Confira!

1. Realizar uma atividade física juntos

Com o constante estímulo do celular, televisão e diferentes meios eletrônicos, sair da zona de conforto e começar a praticar esportes requer bastante esforço para quem não está acostumado com esse estilo de vida.

Aliás, você sabia que a América Latina tem um alto índice de pessoas sedentárias? Cerca de 39% dos latino-americanos não praticam atividades físicas na frequência que deveriam. Enquanto isso, o Brasil lidera no ranking de pessoas sedentárias no continente, alcançando 47%.

A falta de esforço físico frequente estimula diversos problemas para o organismo humano, como diabetes do tipo 2, doenças cardiovasculares, câncer e demência. Portanto, adotar um estilo de vida saudável envolve a prática desportiva e, com tantas opções — dança, caminhada, musculação, luta e muito mais —, o ideal é conversar em família para decidir qual atividade física agrada a maioria e, assim, começar a praticá-la.

2. Ter uma horta em casa

Em muitas famílias, é comum que as crianças não tenham muito conhecimento sobre como os alimentos chegam até seus pratos. Por isso, com o objetivo de estimular a consciência sobre o assunto, é interessante cultivar uma horta em casa com diferentes alimentos.

Dessa maneira, toda a família participa na construção da área, seleciona os grãos a serem plantados, acompanham o crescimento deles e, ainda, têm a possibilidade de comer alimentos mais saudáveis — ao contrário dos produtos comprados em feiras ou mercados, que, muitas vezes, são alterados por substâncias que fazem mal à saúde.

3. Comer juntos sempre que possível

Nem sempre é possível proporcionar um jantar em família, no qual todos estão sentados ao redor da mesa, conversando e se alimentando juntos. No entanto, sempre que possível, é importante estimular essa conexão.

Isso porque essa reunião promove momentos de socialização, troca e afeto. Afinal, a família precisa de um momento a sós, sem distrações de celulares e televisões, para conversar sobre como foi o dia e compartilhar sentimentos — o que é ótimo para a saúde emocional

4. Não gratificar os filhos com comida

Muitos pais usam a comida como gratificação por alguma atitude positiva do filho. Por exemplo: se ele comer a salada no almoço, a mãe dá um bombom como sobremesa. Já à noite, quando ele consegue jantar sem deixar sobras no prato, o pai oferece uma bala.

É comum que pais premiem o filho com comida pelos mais variados motivos: notas boas na escola, organização do quarto, bom comportamento durante o dia. Entretanto, psicologicamente, essa não é uma boa estratégia, pois a criança cresce acreditando que para fazer algo bom é necessário ganhar algo em troca. Então, caso você adote essa prática, é importante eliminá-la o quanto antes.

5. Estabelecer um horário para dormir

Por ser uma das principais dicas para ter uma vida saudável, é necessário destacar a importância de dormir bem. Muitas pessoas costumam dormir tarde e podem passar esse hábito para os filhos, o que não é saudável.

Isso porque, para conseguir ter um bom rendimento de manhã na escola, por exemplo, é importante que a criança tenha descansado para poder prestar atenção às aulas, fazer os exercícios e processar melhor os ensinamentos. Com uma noite de sono ruim, tudo isso é comprometido.

Então, estabelecer um horário para que toda a família vá dormir é essencial. Caso o filho tenha dificuldades para pegar no sono, vale a pena contar alguma história ou colocar uma música calma.

6. Reduzir o estresse

Para ter uma saúde física de qualidade, a saúde mental não pode ficar de fora. Ainda que muitos pais não saibam, o estresse deles pode afetar a criança e, assim, existe a possibilidade de ela desenvolver algum transtorno psicológico.

Além disso, no ápice da exaustão, é comum descontar a própria frustração no outro e, muitas vezes, esse outro pode ser o filho. Por isso, saber lidar com as próprias emoções também é uma maneira de oferecer uma melhor vida para quem você ama.

Sendo assim, é importante saber resolver os conflitos para que eles não se prolonguem e, com isso, gerem mais estresse. Nesse sentido, a comunicação é peça-chave para um bom convívio familiar.

Outro ponto que deve ser destacado é a importância de não discutir problemas conjugais ou financeiros perto das crianças, ainda mais se elas forem muito novas. Isso pode provocar angústia e tristeza nos pequenos, afinal, os filhos não gostam de ver os pais brigados. Entretanto, também não é saudável esconder nada deles. Caso essas situações aconteçam, converse de forma amigável e tranquila para que eles entendam.

7. Ensinar a importância das consultas com profissionais da saúde

Vacinas e remédios costumam ser grandes inimigos das crianças, que, inclusive, podem adquirir medo de frequentar hospitais e consultórios médicos. No entanto, sabemos que, para ter uma saúde de qualidade, é preciso fazer visitas a esses lugares.

Portanto, é necessário explicar às crianças por que os médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde são tão importantes. Assim, é possível quebrar, aos poucos, o receio que os filhos têm deles, pois é necessário que vejam isso como algo essencial na vida, e não como um castigo.

Viu como as dicas para ter uma vida saudável podem ser adotadas em família? Para isso, basta ter um pouco de paciência e esforço que, em algum tempo, todos começarão a gostar dos novos hábitos.

Ainda sobre a importância de fazer consultas regularmente, você já fez o teste sanguíneo dos filhos e sabe as compatibilidades de cada um deles? Saber essas informações é essencial. Para entender melhor, confira este artigo sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário