7 razões para marcar sua consulta com um cardiologista

6 minutos para ler

Muitas pessoas acreditam que só devem procurar um médico ou agendar uma consulta quando se está doente. Se você pensa dessa forma, saiba que as consultas de rotina com especialistas são essenciais para a prevenção de doenças. Afinal, patologias identificadas precocemente têm chances maiores de cura e eficácia no tratamento.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardíacas são as que mais matam no mundo — são cerca de 7,4 milhões de mortes decorrentes de problemas cardiovasculares por ano. Nesse sentido, se consultar com um cardiologista periodicamente é importante por diversos motivos.

Neste post, você vai conhecer 7 razões pelas quais você deve procurar esse especialista e com que frequência fazer isso. Continue a leitura e saiba mais!

Como o cardiologista atua

Segundo o Dr. Alexandre Sans, médico cardiologista, a especialidade atua muito na questão da prevenção de doenças cardiovasculares. Dessa maneira, o cardiologista trabalha como um grande incentivador e promotor da mudança do estilo de vida do paciente.

Ter uma alimentação mais saudável e adotar a prática de exercícios físicos na rotina é fundamental para essa mudança. Por isso, essas são as maiores indicações do médico dessa especialidade. 

Na prevenção

O Dr. Alexandre Sans explica que o profissional especializado em distúrbios cardiovasculares atua também no diagnóstico e na prevenção primária e secundária. Na prevenção primária, o paciente ainda não tem doenças preexistentes e quer se prevenir; na secundária, a doença crônica já foi identificada e é necessário fazer um controle da enfermidade. 

Para ele, a consulta de rotina com o cardiologista é importante para a prevenção porque muitas pessoas que sofrem de doenças do coração, como hipertensão e diabetes, não apresentam sintomas. Assim, é possível identificar precocemente a doença e evitar um caso mais grave. Quando a descoberta é feita em um estágio mais avançado, menores são as chances de sucesso no tratamento e a expectativa de vida. 

No tratamento

O cardiologista também faz o acompanhamento dos pacientes já diagnosticados com patologias do coração, como doenças arteriais coronarianas — que já sofreram ou têm risco de infarto — e doenças das artérias carótidas. Ainda se enquadram na assistência do cardiologista as pessoas com arritmias cardíacas. 

7 razões para marcar sua consulta

Caso você ainda não tenha se convencido de que se prevenir é importante, listamos a seguir 7 motivos para marcar uma consulta e entender de uma vez por todas quando ir ao cardiologista é indicado. Veja só como garantir a saúde do coração!

1. Histórico familiar de doenças do coração

Quem tem histórico familiar de problemas cardiovasculares deve procurar um cardiologista o quanto antes para se prevenir. Caso tenha pais, irmãos, avós ou tios que sofreram acidente vascular cerebral (AVC), infarto ou morte súbita; ou casos de hipertensão e diabetes na família, fique atento! O recomendado nessa situação é fazer consultas de rotina com o cardiologista a partir de 30 anos, para os homens, e de 40 anos para as mulheres. 

2. Fatores psicossociais

Depressão, estresse e ansiedade estão entre os fatores psicossociais que influenciam no agravamento de doenças coronárias. De acordo com o InterHeart, um estudo realizado com o objetivo de avaliar o impacto de fatores de risco cardiovascular em diversas regiões do mundo, o risco de infarto aumenta em 60% em casos de pessoas que sofrem de ansiedade e depressão.

Relacionado à ansiedade, o estresse é um fator frequentemente responsável pela incidência de infarto. Por isso, é fortemente recomendado que pessoas que sofrem dessa condição procurem um especialista do coração. 

3. Doenças preexistentes

Indivíduos que já foram diagnosticados com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, obesidade e dislipidemia (colesterol alto) devem consultar um cardiologista com frequência. Cada quadro é avaliado pelo médico, que definirá de quanto em quanto tempo é necessário fazer uma avaliação.

Nesses casos, é indicado um acompanhamento constante e, para isso, o cardiologista geralmente vai solicitar exames preventivos do coração. Entre os exames pedidos para avaliação constam:

  • eletrocardiograma;
  • perfil lipídico;
  • níveis de glicemia;
  • valor de ácido úrico;
  • medição da dosagem de microalbuminúria na urina. 

4. Sintomas de doenças cardiovasculares

Conforme explicado pelo Dr. Alexandre Sans, fazem parte do grupo de risco os idosos, os diabéticos e os fumantes. No entanto, independentemente da idade e mesmo que você não faça parte desse grupo, fique alerta e marque uma consulta com o cardiologista se observar os seguintes sintomas:

  • falta de ar ou baixa tolerância para exercício físico;
  • dores no peito;
  • palpitações;
  • desmaios frequentes.

5. Altas taxas de colesterol

O colesterol alto é uma das causas do infarto e do acidente vascular cerebral (AVC). Atuando de forma silenciosa, esse fator representa uma bomba-relógio, uma vez que não se manifesta por meio de sintomas.

Por essa razão, é muito importante fazer o acompanhamento das taxas de colesterol com regularidade junto ao médico. Muitas pessoas não se preocupam com essa questão do colesterol alto, no entanto, ele é muito perigoso e afeta 40% da população brasileira, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia. 

6. Início de novas atividades físicas

Em todas as idades, consultar um cardiologista antes de iniciar a prática de atividades físicas é relevante. Portanto, faça uma avaliação ao começar a correr, frequentar a academia ou fazer qualquer outro tipo de esporte. Ao fazer a avaliação física, o médico pode identificar, por meio de exames, anormalidades no funcionamento do coração e, assim, indicar a maneira mais segura de se praticar os exercícios. 

7. Idade acima de 55 anos

A partir dos 55 anos, mesmo que não haja histórico familiar ou fatores de risco, é necessário fazer ao menos uma avaliação anual com o cardiologista. Com o envelhecimento, o coração sofre alterações e, por isso, é preciso um cuidado maior.

Entre as mudanças que o órgão sofre com o avanço da idade está a redução da modulação da função cardíaca pelo sistema nervoso e o fato das paredes, artérias e arteríolas ficarem mais espessas, o que implica em uma maior lentidão do fluxo sanguíneo. Tenha atenção, portanto, e inclua a avaliação cardíaca em seu check-up anual a partir dessa idade. 

As doenças cardiovasculares, por serem muitas vezes fatais, devem ser sempre um foco de atenção da população e da medicina em geral. Por isso, é fundamental fazer exames preventivos e adotar hábitos de vida mais saudáveis. 

Pensando nisso, a rede de clínicas AmorSaúde conta com médicos capacitados e está pronta para atender você e sua família, oferecendo um atendimento especializado. Agende já a sua consulta!

Posts relacionados

Deixe um comentário