Psicólogo e psiquiatra: entenda a diferença entre os profissionais

7 minutos para ler

Quando o assunto é o cuidado com a saúde mental, muita gente pensa logo em psicólogo e psiquiatra, mesmo sem saber a diferença exata entre os dois profissionais. Nesse caso, é importante destacar que, apesar de tratarem o ser humano, ambos têm diferentes formas de atuação, sendo necessário conhecê-las para saber quando se consultar com cada especialista.

Em alguns casos, as pessoas só vão ao psicólogo. Em outros, o tratamento tem união da psicologia com a psiquiatria. Na maioria das vezes, o psicólogo é o primeiro profissional a ser consultado por um paciente que vai cuidar da saúde mental.

Se você quer saber exatamente quais são as diferenças e os campos de atuação do psicólogo e psiquiatra, continue lendo este artigo!

Conheça a importância do trabalho de um psicólogo

Com formação superior em Psicologia, o psicólogo estuda os processos mentais e o comportamento do ser humano durante aproximadamente 5 anos no nível bacharelado de ensino. Nesse contexto, o profissional analisa também questões como sentimentos, emoções, razão e pensamento.

Depois de formado, o psicólogo pode trabalhar em clínicas, escolas, hospitais e empresas, apresentando habilidade para fazer sessões psicoterapêuticas e orientação psicológica.

Quando procurar um psicólogo?

Existem diversos motivos para iniciar um trabalho terapêutico, mas geralmente o paciente começa a perceber a necessidade de cuidar da saúde mental ao ter dificuldade para superar alguns problemas da vida.

Além disso, existem pessoas que têm problemas de comportamento e de relacionamento, sentem angústia constantemente e apresentam dificuldade para se abrir com o outro. Esse profissional também pode ser procurado caso você tenha passado por alguma crise recentemente, como perda de algum familiar ou de emprego. Outro motivo para buscar ajuda é quando sentir dificuldade para tomar alguma decisão importante, como a escolha de uma carreira.

Dessa forma, o psicólogo inicialmente vai trabalhar voltado para a questão principal levantada pelo paciente. Depois, é possível que outros assuntos surjam no caminho, que também serão analisados no ambiente terapêutico.

Como funciona o tratamento?

Certamente você já viu algum filme em que o paciente fica deitado no divã conversando com o psicólogo. Ainda que existam terapias desse tipo, mas nem todas seguem essa abordagem. Afinal, existem diversos caminhos para esse profissional atuar na profissão.

Basicamente, o paciente conversa com o profissional sobre as suas frustrações, angústias, seus medos e também aspectos positivos, como sonhos e vitórias. Em algumas abordagens terapêuticas o paciente fala mais, enquanto em outras ele escuta mais do que fala, então depende bastante do segmento do psicólogo.

Esse profissional apresenta um papel fundamental no tratamento de transtornos mentais como a ansiedade e a depressão, pois procura, junto ao paciente, encontrar saídas para as suas questões. Para isso, ocorrem sessões semanais de aproximadamente uma hora.

A alta varia bastante, já que existem pacientes cujo tratamento pode ser mais demorado, como é o caso de quem tem depressão. Nesse sentido, é possível que a pessoa passe a vida toda fazendo acompanhamento com psicólogo, mas isso não é um problema, porque esse tratamento gera muitos benefícios aos pacientes.

Como pode ajudar o paciente?

Às vezes pode ser bem difícil encontrar a luz no fim do túnel, não é mesmo? Afinal, nós vivemos a nossa história, então é difícil nos distanciarmos dela. Para isso existe o psicólogo, que é o profissional capacitado para ouvir a pessoa e esclarecer os possíveis caminhos existentes para ela.

Por meio da terapia é possível tratar traumas de infância ou da vida adulta, hábitos nocivos e encontrar respostas para indagações profundas. Durante esse processo, o autoconhecimento entra em ebulição, proporcionando descobertas revolucionárias sobre si mesmo.

Ao longo das sessões terapêuticas, pode ser difícil acessar as questões mais profundas, já que elas são dolorosas. No entanto, ao serem trabalhadas, a dor fica mais leve e pode, inclusive, desaparecer depois de um tempo. Por isso, o ponto-chave da terapia não é fazer o paciente esquecer o que ele passou, mas superar aquela situação.

Conheça a importância do trabalho de um psiquiatra

Agora que você já entendeu o trabalho de um psicólogo, que tal conhecer o do psiquiatra? Esse profissional é formado em medicina, cujo tempo de curso dura aproximadamente 6 anos. Depois dessa etapa, ele deve fazer uma especialização na área da psiquiatria e, então, pode atuar na área.

Ao contrário do psicólogo, o psiquiatra pode emitir laudos médicos e receitar medicamentos. Por isso, ele consegue identificar, diagnosticar e tratar doenças da ordem mental, como depressão, bipolaridade, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e esquizofrenia.

Quando procurar um psiquiatra?

Geralmente é necessário ter um encaminhamento para visitar pela primeira vez um psiquiatra, seja por um psicólogo, seja por um clínico geral. Caso o paciente demonstre sinais de ter um transtorno mental, é importante que esse profissional recomende também o trabalho terapêutico — se ainda não o fizer.

Existem pessoas já foram diagnosticadas anteriormente por outro médico com alguma das doenças mentais existentes. Nesse caso, a consulta com o psiquiatra deve ser agendada rapidamente.

Como funciona o tratamento?

Como foi possível perceber, o foco do trabalho do psicólogo é a conversa e o do psiquiatra é a medicação, mas isso não significa que esse profissional não converse com o paciente. Afinal, ele deve entendê-lo minimamente para poder prescrever um medicamento, e para isso é necessário dialogar.

No entanto, em vez de ficar uma hora no consultório — como no caso do psicólogo —, o tempo no psiquiatra costuma ser reduzido. Isso acontece porque o foco desse profissional é tratar as desordens biológicas, reequilibrando a química do cérebro com a medicação.

No geral, os encontros com o psiquiatra acontecem mensalmente, mas o tempo pode ser reduzido ou aumentado de acordo com cada caso.

Como pode ajudar o paciente?

É importante destacar que nem sempre a primeira medicação prescrita pelo psiquiatra será a melhor para o paciente, já que cada corpo responde de uma forma diferente. Nesse contexto, é necessário fazer o acompanhamento frequente das reações do paciente para achar o medicamento ideal para ele.

Ao encontrá-lo, é possível que os sintomas causados pela doença sejam amenizados ou mesmo controlados. Assim, você consegue uma qualidade de vida antes inimaginável graças ao trabalho psiquiátrico.

Ao unir o suporte do psicólogo e psiquiatra, a saúde mental pode melhorar ao ponto da pessoa levar a vida normalmente. Isso não significa que os sentimentos ruins vão acabar ou que não vai haver mais sofrimento, afinal, não somos robôs. No entanto, inegavelmente, com a ajuda desses profissionais é possível ter uma vida muito mais leve.

Gostou deste conteúdo? Então o que está esperando para cuidar da sua saúde mental? Se você já faz tratamento psicológico e/ou psiquiátrico, comente sobre sua experiência neste post!

Posts relacionados

Deixe um comentário