Por que lavar as mãos é tão importante para nossa saúde?

7 minutos para ler

Vivemos à procura de medidas eficazes para prevenir doenças e manter a saúde em dia, não é mesmo? Alimentação saudável, prática de exercícios físicos, check-up médico e vacinação são algumas das mais recomendadas. Mas o que pouca gente sabe é que uma ação simples do dia a dia não só pode como deve fazer parte dessa lista: lavar as mãos.

Sabia que é justamente pelas mãos que se dá a transmissão de muitas doenças, como gripe, diarreia e conjuntivite? Aliás, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), higienizá-las correta e frequentemente evita as infecções em até 40%! É uma porcentagem que não dá para simplesmente ignorar, concorda?

Ficou interessado em saber mais sobre esse assunto? Então acompanhe nosso post para entender como as mãos são vias importantes no ciclo de transmissão de doenças, quando devemos lavá-las, qual o jeito certo de fazer essa higienização e a necessidade de usar o álcool em gel!

Por que as mãos transmitem tantas doenças?

Desde o momento em que acordamos, usamos nossas mãos para realizar todo tipo de atividade: pegamos em objetos, cumprimentamos as pessoas e manuseamos alimentos. Quando espirramos ou tossimos, levamos as mãos à boca. Quando vamos coçar os olhos, lá estão elas de novo!

Basicamente, as mãos ficam constantemente expostas a todo tipo de germes, como vírus, bactérias e parasitas. Surge aí o perigo de transmissão de doenças tanto para a própria pessoa como para as outras com quem ela convive, seja em casa, na escola, na rua ou no trabalho.

Imagine uma sala de aula em que uma criança está gripada. Quando ela tosse, leva a mão à boca, mas não lava na sequência. Aí vai realizar alguma atividade escolar, como colorir uma folha de papel. Se outra criança também manusear algum dos lápis de cor que a colega utilizou e passar a mão no olho sem perceber, também pode ficar infectado! Fácil assim.

No entanto, por mais que o risco seja maior para as crianças, não pense que os adultos estão imunes a essa forma de contaminação, viu? No trabalho, por exemplo, imagine se um colega doente usa o telefone do setor sem ter lavado a mão já há algum tempo. Em seguida, você também precisa usar o telefone. Depois, sem higienizar e sem perceber, leva-as à boca. Essa ação simples gera risco de se pegar uma infecção.

O que acontece é que, muitas vezes, a pessoa ainda nem manifestou os sintomas de uma virose ou de uma infecção bacteriana e já está transmitindo esses microrganismos. Não dá para falar, portanto, que a precaução de manter as mãos sempre limpas deve ocorrer somente quando convivemos com alguém visivelmente doente. Entenda: a facilidade de contrair e transmitir doenças pelas mãos é permanente!

A boa notícia é que, ao lavar as mãos da maneira adequada, você não apenas evita ficar doente mas também interrompe a transmissão de doenças, como gripe, intoxicação alimentar, hepatite A, parasitoses intestinais, conjuntivite, doenças de inverno, entre outras.

Quando devemos lavar as mãos?

Muita gente pensa que existe uma frequência ideal para lavar as mãos: 2, 3, 4, 10 vezes ao dia. Na verdade, porém, a periodicidade vai depender da ocorrência de determinadas situações. É preciso fazer esse processo:

  • depois de tossir ou espirrar;
  • depois de usar o banheiro;
  • antes e depois de fazer uma visita hospitalar;
  • antes e depois de ter contato com alguém doente;
  • antes de visitar ou encostar em um bebê (principalmente se for recém-nascido);
  • depois de utilizar o transporte público ou segurar em corrimãos de locais públicos;
  • depois de tocar em uma nota de dinheiro;
  • quando chegar da rua;
  • antes de manusear alimentos;
  • antes das refeições;
  • antes e depois de trocar a fralda do bebê;
  • antes e depois de trocar algum curativo de ferida ou machucado;
  • depois de tirar o lixo;
  • depois de brincar ou encostar em animais;
  • depois de apertar as mãos de outra pessoa;
  • quando a mão estiver com qualquer sujeira aparente.

Para você ter uma ideia da gravidade do assunto, em relação ao contato com recém-nascidos, uma pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) apontou que 41% das mortes desses bebês podem ser evitadas com a limpeza adequada das mãos de quem encosta neles.

Como fazer a higienização correta?

As pessoas não imaginam, mas existe sim um jeito certo de lavar as mãos! Na rotina corrida, principalmente se estamos fora de casa, quando recorremos ao banheiro de um shopping center, por exemplo, acabamos depois só jogando uma aguinha, não é verdade? O problema é que a água sozinha não consegue eliminar os germes. É preciso utilizar água e sabão! 

Além disso, é necessário ser criterioso com essa higienização, que precisa durar de 30 segundos a 1 minuto. Você acha muito tempo? É tudo questão de costume. Veja o passo a passo a abaixo para entender como todos esses segundos são mais que necessários:

  • molhe as mãos;
  • pegue uma quantidade de sabonete (de preferência líquido) que cubra toda a palma da mão;
  • esfregue uma palma na outra;
  • esfregue o dorso das mãos;
  • esfregue a região entre os dedos;
  • esfregue as pontas dos dedos para higienizar as unhas;
  • esfregue a região dos punhos;
  • enxágue bem com água;
  • seque-as com um papel — em casa, você pode utilizar uma toalha, mas é importante trocá-la com frequência.

A limpeza é mais eficiente com sabonete líquido do que com sabonete em barra, mas não precisa ser um sabonete bactericida, ok? O importante é fazer a higienização da maneira correta, lembrando de esfregar todas as regiões e cantinhos das mãos.

Qual a importância de passar o álcool em gel?

Você pode complementar a limpeza das mãos com água e sabão ou até substituí-la pelo uso do álcool em gel, desde que tenha pelo menos 60% de álcool em sua formulação. Já reparou como esse é um item que encontramos não só em hospitais e em outros estabelecimentos de saúde, mas também em lanchonetes e restaurantes?

O álcool em gel não agride as mãos e tem o poder de eliminar os germes, desde que passado não só na região palmar, mas também nos punhos, no dorso, entre os dedos e na área das unhas. Além disso, é bem prático, pois você não precisa fazer o enxágue depois do uso, além de poder carregá-lo na bolsa para usar sempre que precisar.

Quer uma maneira de oferecer proteção para você e para toda a sua família? Habitue-se a lavar as mãos com frequência e da maneira correta! Ensine as crianças desde cedo a realizarem essa ação simples, principalmente após o usar o banheiro e antes das refeições. Com isso, todos vão passar longe das doenças!

Gostou das nossas dicas para cuidar da sua saúde e viver bem? Para conferir outros posts como este, basta assinar a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário