7 fake news sobre doenças do coração

6 minutos para ler

Usar a internet para diversas atividades diárias já faz parte da rotina de muita gente. No entanto, é preciso cautela ao utilizar a rede, porque somos bombardeados por informações que nem sempre são verdadeiras.

O cenário se complica com a disseminação de fake news na área da saúde, principalmente a respeito de doenças do coração. São informações falsas que se espalham rapidamente e podem confundir as pessoas sobre tratamentos, alimentação e outras questões.

Isso é bastante perigoso, visto que os problemas cardiovasculares são a principal causa de morte do mundo.

Se você quer conhecer 7 fake news sobre doenças do coração que andam circulando por aí, acompanhe nosso post para entender como não cair na mentira e, assim, não colocar em risco a saúde do coração!

1. O sal é o maior vilão da hipertensão

Uma das fake news sobre doenças do coração é justamente a que diz que o sal é o maior vilão dos casos de pressão alta. Dessa maneira, espalha-se por aí que basta tirar o sal da alimentação para contornar o problema.

Isso não procede, pois a hipertensão, para muitas pessoas, é decorrente de componente genético. Tanto é que há situações de crianças que não são obesas e que praticam atividade física regular com pressão alta. Fatores como a idade, o estilo de vida e até a raça também influenciam se a pessoa terá ou não hipertensão.

É claro que os hipertensos devem ter um cardápio saudável, priorizando os alimentos bons para o coração e moderando o sal. Todavia, é errado associar o problema somente ao consumo desse item. Quando o paciente está em tratamento, o mais importante é abandonar o sedentarismo e perder peso.

2. Somente obesos podem ter problemas de coração

Pessoas magras e até mais jovens podem ter problemas do coração, como hipertensão, colesterol alto e outras condições, sem apresentar sintomas. O sobrepeso é um fator de risco para as doenças cardiovasculares, no entanto, todo mundo deve passar pelo check-up no cardiologista pelo menos uma vez ao ano, para fazer os exames preventivos do coração.

Além das consultas regulares, para prevenir problemas cardíacos, é necessário abandonar o cigarro, reduzir o consumo de álcool, adotar uma alimentação mais leve e saudável e praticar exercícios físicos com regularidade.

3. Vacina da gripe faz mal para quem tem doenças cardiovasculares

Vacinas são sempre alvo das fake news, como a que relaciona a vacina da gripe à piora de pacientes que sofrem de doenças cardiovasculares. Não há nenhuma comprovação científica disso: aliás, somente o médico pode aconselhar a pessoa a deixar de tomar alguma vacina por conta de algum efeito ruim ao organismo.

É preciso destacar, também, que pacientes com problemas do coração podem ficar muito debilitados caso contraiam uma gripe; por isso, a imunização é fundamental. Estar protegido pode até evitar internações e mortes por insuficiência cardíaca.

Se você receber alguma informação como essa, não hesite em procurar o seu médico antes de tomar a decisão de não se vacinar.

4. O único sintoma de infarto é dor no peito que se irradia para o braço

Um sintoma clássico do infarto realmente é a dor no peito que vai se irradiando para o braço esquerdo, entretanto, diferentemente do que se espalha na internet, esse não é o único sintoma desse problema.

Alguns pacientes podem sentir dor no estômago, náuseas, vômitos, suar frio e até desmaiar. Há quem esteja tendo um infarto e só sinta uma falta de ar ou o coração bater mais acelerado.

Viu só como é importante ter todas as informações e, dessa forma, procurar ajuda médica em caso de qualquer sintoma diferente, e não apenas a dor no peito?

5. Tossir repetidamente evita o infarto, fazendo o coração voltar ao ritmo normal

Está aí uma grande mentira que se espalhou rapidamente na rede e que pode ser perigosa, pois, em caso de infarto, o recomendado é chamar o serviço médico de emergência, para evitar consequências mais graves.

Tossir não vai contornar um infarto, visto que a respiração não apresenta nenhuma relação direta com o coração. Sendo assim, a dor não vai ser menor, nem o problema vai se resolver simplesmente por conta de a pessoa começar a tossir repetidamente.

6. As estatinas, usadas para reduzir o LDL, fazem muito mal à saúde

O LDL é o chamado colesterol ruim. Para as pessoas que tratam o problema, geralmente, são receitadas as estatinas, que vão reduzir os níveis desse colesterol no sangue.

Mesmo sendo um medicamento eficaz nesses casos, as fake news sobre ele também confundiram muitos pacientes: circulou a informação de que as estatinas trariam um risco muito grande à saúde.

Agora imagine o perigo de uma pessoa em tratamento acreditar nisso e simplesmente parar de tomar o medicamento!

Então, vamos reforçar: em caso de qualquer dúvida sobre algo de saúde que surja nas redes sociais ou até encaminhado por aplicativos de mensagens, consulte seu médico. Se estiver em tratamento, não tome nenhuma decisão precipitada, pois você pode colocar sua saúde em risco.

7. Consumir óleo de coco reduz o LDL

Muito se escuta falar sobre os benefícios do óleo de coco, e o ingrediente pode, sim, ser mais saudável do que os outros óleos tradicionais que se usa na culinária. Porém, não há nenhuma comprovação científica de que ele reduza o LDL.

Assim, a dica é sempre adotar uma alimentação equilibrada (incluindo, até mesmo, o óleo de coco) e abandonar o sedentarismo para cuidar da saúde do coração. Nos casos de níveis alterados de colesterol, o acompanhamento médico é essencial.

Vivemos em um mundo conectado, porém, é preciso ter cuidado com as informações de saúde. As fake news aparecem a todo momento; por isso, desconfie quando uma notícia não vier de uma fonte confiável. Deixe sempre para esclarecer todas as dúvidas com o seu médico!

Gostou de conhecer as fake news sobre doenças do coração? Então, compartilhe agora mesmo este post com seus amigos nas redes sociais, para que mais pessoas tenham a chance de não prejudicar a própria saúde e a de outros!

Posts relacionados

Deixe um comentário