Cuidados com a alimentação na praia: veja 7 dicas dos nossos especialistas

6 minutos para ler

O verão é a estação mais esperada pelos brasileiros. Todos querem aproveitar os dias de mar e piscina com a família, porém, certos cuidados com alimentação na praia são necessários para que as férias não acabem no hospital. 

Nessa época, é comum passar o dia fora e se alimentar na rua, porém, devido ao forte calor e ao maior risco de contaminação dos alimentos expostos ao sol, os casos de intoxicação alimentar só aumentam. Os sintomas incluem náusea, vômito e diarreia, podendo levar à desidratação. 

Por isso, nessa estação, é ainda mais importante manter uma alimentação saudável e redobrar os cuidados com a higiene, manipulação e conservação dos alimentos. Confira as nossas dicas e garanta férias tranquilas e a saúde da sua família!

Vazamento de óleo e alimentação

Se, nessa época do ano, os riscos de intoxicação já são maiores em função do calor, com o recente derramamento de óleo no Nordeste, a preocupação só aumentou. Considerado o maior desastre ambiental desse tipo, em termos de extensão, os especialistas alertam para os malefícios que o consumo dos peixes contaminados pode causar à saúde.

Os testes ainda estão sendo realizados para avaliar a contaminação dos alimentos, mas pesquisas iniciais demonstraram a presença de óleo nos sistemas digestivo e respiratório dos animais. Alguns frutos do mar, como moluscos, ostras e mariscos, devem ser evitados, pois apresentaram maior concentração dos resíduos de petróleo do que os peixes. A lagosta também entra na lista de alerta.

O ideal é aguardar a conclusão das análises, mas, em caso de sabor alterado e cheiro forte, não consuma o alimento. Muitos animais podem estar contaminados mesmo aparentando estar limpos, pois os componentes tóxicos impregnam seus tecidos.

A princípio, a ingestão dos alimentos contaminados pode causar gastroenterite, náuseas e vômitos, porém, ainda não se sabe como cada organismo pode reagir e nem de que substâncias estamos falando. Há suspeitas de contaminação por tolueno, xileno e benzeno, um componente cancerígeno.

As consequências do contato com tal substância podem ir desde dermatites até condições mais graves, como câncer, alterações do sistema nervoso e imunológico, alterações hormonais e malformação fetal.

7 cuidados com alimentação na praia

A verdade é que, independentemente do acidente ocorrido no litoral brasileiro, a alimentação na praia sempre exigiu cuidados, principalmente na estação mais quente do ano. Afinal, todos querem aproveitar a temporada de sol, sal e mar, mas ninguém que perder dias de férias passando mal. Por isso, fique de olho nestas dicas!

1. Lave as mãos antes de comer

Lavar as mãos é uma regra básica de higiene do dia a dia, mas, no clima descontraído da praia, esse passo pode acabar passando despercebido. Porém, é justamente nesse ambiente de calor e umidade que as bactérias se proliferam; por isso, é ainda mais importante higienizar as mãos com água doce antes de comer. 

2. Evite comprar alimentos na praia

Nessa época do ano, as praias ficam lotadas de ambulantes, e a oferta de alimentos é farta e variada. Porém, o melhor mesmo é evitar comprar comida na praia, pois não temos a certeza de que foi manipulada e acondicionada corretamente. Além disso, os alimentos ficam expostos ao sol, o que torna a sua conservação ainda mais difícil. 

3. Beba bastante água mineral e água de coco

Embora estejamos falando de alimentação, não se pode esquecer o principal — a hidratação. Em dias de calor intenso e de muita exposição ao sol, é essencial beber muita água. Dê preferência à versão mineral e verifique se a garrafinha está lacrada, garantindo a procedência. A água de coco bebida diretamente da fruta também é uma boa opção para repor vitaminas e minerais. 

4. Leve pequenos lanches de casa

Para evitar comprar comida na praia, o melhor e mais econômico é levar um lanche de casa. Lave bem legumes, verduras e frutas, embalando-os individualmente, e condicione-os em recipientes térmicos, para sejam conservados.  

5. Escolha bem os alimentos

A escolha dos alimentos é fundamental. Assim, evite aqueles de origem animal, como carnes e queijos, que são mais perecíveis no calor. Prefira sanduíches sem maionese, biscoitos integrais e ingredientes naturais, como frutas, legumes, castanhas, nozes e milho. 

Frutas e legumes vermelhos e amarelos, como mamão, cenoura, beterraba, tomate e manga, são ricos em vitamina C e betacaroteno, protegendo a pele por meio de substâncias antioxidantes que combatem os radicais livres provenientes da exposição solar. 

6. Prefira as marcas conhecidas

Em todo caso, na eventual necessidade de comprar algum alimento na praia, prefira os industrializados de marcas que você já conhece. Sorvetes, biscoitos e sucos de marcas desconhecidas podem ser de procedência duvidosa. Confira, também, as embalagens e nunca aceite produtos violados ou fragmentados. 

7. Verifique se o quiosque tem o selo da Vigilância Sanitária

Na orla das praias, há muitos quiosques que oferecem petiscos e refeições, parecendo ser uma opção mais segura do que os ambulantes das areias.

Mas, para que você possa almoçar com tranquilidade e sem riscos à saúde, verifique se o estabelecimento tem o selo de aprovação da Vigilância Sanitária. Avalie, também, as condições das instalações e se os profissionais usam luva na manipulação dos alimentos. 

Alimentos com maior chance de contaminação

Por fim, fique atento aos alimentos com mais chance de contaminação. Os frutos do mar são os campeões, mas, além deles, frituras, como porções de bolinhos e pastéis, bem como queijos e sanduíches naturais, costumam ficar tempo demais fora da geladeira e oferecem riscos. 

Ainda, evite os alimentos mais gordurosos. Além de prejudiciais à saúde, por serem um dos fatores que predispõem à obesidade e a problemas do coração, eles são de digestão lenta e promovem a retenção de líquidos, problemas naturalmente agravados pelo calor. 

Prevenir é o melhor remédio. Por isso, fique atento aos cuidados com alimentação na praia e não se esqueça da hidratação, principalmente das crianças. Ao apresentar sintomas de intoxicação, faça repouso e beba bastante líquido — água, isotônicos e água de coco. Se o quadro persistir ou se agravar, procure um médico. 

Se você curtiu as nossas dicas, assine a nossa newsletter e receba nossas novidades e informações por e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário