7 consequências e riscos da obesidade para a saúde

6 minutos para ler

Sabia que o quadro de obesidade é caracterizado quando o Índice de Massa Corporal (IMC) está acima de 30? Pois como anda o seu IMC? Para chegar a esse número, basta dividir seu peso por sua altura ao quadrado! A fórmula fica assim: peso em quilos / (altura em metros)². Faça as contas!

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1 em cada 8 adultos em todo o mundo está com o IMC alto, sendo considerado, portanto, obeso. E essa é uma condição que vem afetando cada vez mais os brasileiros. Segundo o Ministério da Saúde, a prevalência da obesidade na população, que era de 11,8% em 2006, pulou para 19,8% em 2018. Um salto e tanto, não é mesmo?

É preciso dar a devida atenção a esses números a fim de promover uma maior conscientização das pessoas sobre as consequências e riscos da obesidade para a saúde. E é justamente isso o que vamos apresentar neste post! Continue a leitura e veja por que é importante adotar um estilo de vida saudável para evitar o ganho exagerado de peso!

1. Doenças cardiovasculares

Nesse cenário, uma das grandes preocupações é o fato de que os obesos estão mais propensos a desenvolver doenças cardiovasculares, como:

  • infartos;
  • derrames;
  • insuficiência cardíaca;
  • arteriosclerose.

Isso acontece por um motivo simples: quanto mais gordura se tem em torno dos órgãos da cavidade abdominal, maior é o risco de entupimento das artérias, afetando o desempenho normal do coração.

Há, assim, mais propensão para a formação de placas de gordura, o que também está associado aos altos níveis de colesterol ruim (LDL), aos baixos níveis do colesterol bom (HDL), às taxas elevadas de triglicérides e hipertensão arterial. Perder peso significa, portanto, proteger seu coração!

E o risco também existe para as crianças, viu? Um estudo do British Columbia Children’s Hospital apontou que a obesidade infantil pode ter relação com o estreitamento da artéria aorta, uma das principais do corpo. Adulto ou criança, então, é preciso atuar no combate ao colesterol para prevenir várias doenças!

2. Diabetes

Entre as consequências e riscos da obesidade para a saúde está o desenvolvimento do Diabetes Mellitus do tipo 2. Adotantes de uma alimentação desregrada, com carboidratos refinados em excesso, como massas e doces, e que ainda não praticam atividades físicas, acabam acumulando gordura corporal, o que pode levar o organismo a se tornar resistente à insulina.

Vale lembrar aqui que a insulina é um hormônio que ajuda a glicose a entrar nas células, promovendo assim a redução dos níveis de glicose do sangue. Podendo se depositar no fígado, no pâncreas e em outros órgãos, o acúmulo de gordura dificulta a ação da insulina. Daí vem o Diabetes, que aumenta as taxas de glicemia no sangue, podendo causar uma série de problemas para a saúde em geral.

3. Má qualidade do sono

Muita gente não sabe, mas a obesidade também está associada à má qualidade do sono. E não tem jeito: quando não conseguimos descansar direito à noite, não temos uma boa disposição para realizar nossas atividades diárias.

Um dos problemas relacionados a isso pode até parecer sem importância em um primeiro momento, mas não é: os obesos têm mais dificuldade de locomoção, inclusive para mudar de posição enquanto dormem. Um simples movimento pode causar grande cansaço justo quando a pessoa mais precisa descansar, fazendo-a despertar.

Além disso, as pessoas desse grupo estão mais suscetíveis a ter apneia obstrutiva do sono e a roncar, uma vez que possuem mais gordura acumulada na região do pescoço, o que pressiona as vias respiratórias, levando a esses distúrbios.

4. Depressão

Em um mundo tão preocupado com a imagem, a obesidade pode trazer sérias consequências psicológicas. Se a pessoa tem dificuldade em se aceitar por não atender ao padrão de beleza estabelecido, a baixa autoestima logo toma conta, o que prejudica sua vida pessoal e profissional.

Em casos mais sérios, a situação pode levar à depressão. É exatamente isso o que mostrou uma pesquisa publicada no periódico Translational Psychiatry: cientistas descobriram que 10 quilos a mais de gordura corporal elevam as chances do desenvolvimento de depressão em 17%! De acordo com o estudo, a relação entre a doença mental com a gordura tem a ver com os efeitos emocionais que o ganho de peso causa na vida do indivíduo e não com o efeito biológico direto da gordura no organismo.

5. Esteatose hepática

Muita gente nem imagina, mas é fato: entre as possíveis consequências e riscos da obesidade está também a esteatose hepática. Conhecida como gordura no fígado, essa condição pode levar a um quadro de inflamação ou esteatoepatite, levando à morte celular e a um processo de fibrose (cicatrização) do fígado caso não seja tratada. Com o tempo, isso pode evoluir para cirrose hepática ou até câncer.

É preciso dar atenção especial a essa doença, principalmente porque seus estágios iniciais não costumam gerar sintomas, dificultando bastante o diagnóstico. Também por isso, portanto, é importante controlar (ou reduzir, se necessário) o peso corporal.

6. Problemas ósseos

Até certo tempo atrás, acreditava-se que os obesos tinham a vantagem de ter os ossos mais protegidos. No entanto, diversas pesquisas estão cansadas de mostrar que esse rumor está longe de ser verdade.

Um estudo da Universidade de Harvard apontou que indivíduos com mais gordura nos tecidos musculares, no sangue e no fígado também apresentam mais gordura na medula óssea, tecido de onde surgem as células para a formação dos ossos. Durante a pesquisa, 106 mulheres e homens obesos saudáveis foram submetidos a exames de ressonância magnética. A conclusão? A presença de gordura na medula enfraquece os ossos, o que torna os obesos mais suscetíveis a ter Osteoporose.

7. Infertilidade

Por fim, outra consequência da obesidade para a saúde está relacionada à infertilidade, questão que pode preocupar muitas pessoas. O excesso de gordura pode gerar distúrbios hormonais, levando, na mulher, ao desenvolvimento de ovário policístico, situação que pode atrapalhar a concepção. No caso dos homens, estar acima do peso compromete a circulação do sangue, podendo interferir na ereção.

Agora que você já conhece algumas das principais consequências e riscos da obesidade para a saúde, fique esperto: se está acima do peso, trate de fazer um acompanhamento médico e nutricional! De toda forma, desde agora já é possível começar a mudar seus hábitos diários, certo? Incorpore a alimentação saudável na sua rotina e aposte na prática regular de atividades físicas!

Se gostou do nosso post e está interessado em acompanhar outros conteúdos voltados para saúde e qualidade de vida, aproveite para assinar a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário