colocar diu colocar diu

Como é o procedimento para colocar DIU?

6 minutos para ler

Uma grande dúvida entre as mulheres é sobre qual é o melhor método contraceptivo para se usar. Afinal de contas, a medicina tem evoluído tanto que são várias as opções. Pílulas, contraceptivo injetável, camisinha, adesivos com hormônios e diafragma são apenas algumas das possibilidades.

Algumas pessoas, em conjunto com o ginecologista, optam por colocar o DIU (Dispositivo Intrauterino), que oferece mais praticidade do que a pílula e pode ser usado por mulheres saudáveis. Assim como qualquer outro método contraceptivo, o DIU tem suas vantagens e desvantagens, e somente deve ser usado a partir de indicação médica.

Cada paciente deve ser avaliada individualmente para que o ginecologista descubra possíveis riscos que devem ser levados em consideração ao se escolher o método contraceptivo mais adequado. Para quem tem dúvidas sobre o assunto, explicamos quais são os tipos de DIU´s, como o dispositivo é colocado e os cuidados que a paciente deve ter. Confira!

O que é o DIU?

De maneira geral, o DIU é um pequeno dispositivo colocado no útero da mulher que deseja evitar uma possível gravidez. No entanto, assim como outros métodos contraceptivos, ele não é 100% eficaz e a paciente que opta pelo DIU deve ser informada sobre as probabilidades, também.

De acordo com o tipo de DIU escolhido, um único dispositivo pode proteger uma mulher por até dez anos. Essa comodidade não é vista em outros métodos contraceptivos, como é o caso da pílula, da injeção ou mesmo do adesivo.

O funcionamento do DIU é bem simples. Ele libera uma substância que impede que o espermatozoide fecunde o óvulo — o que resultaria em uma gravidez.

Quais são os tipos?

Se uma das primeiras dúvidas da mulher é escolher entre tantas alternativas de contraceptivos, quando é decidido o uso do DIU, também pode aparecer outro questionamento: qual tipo é o melhor? A pergunta é normal, já que existe o DIU revestido de cobre, o de prata e o hormonal.

Lembre-se de que saber as diferenças entre eles é importante, mas a decisão final sobre qual usar ou não deve ser sempre feita com o ginecologista.

O DIU de cobre age liberando pequenas concentrações do metal que, basicamente, não permitem que o espermatozoide sobreviva na área onde deveria fecundar o óvulo. No entanto, um efeito colateral desse DIU é o aumento do fluxo menstrual.

Já o DIU de prata também contém cobre e funciona de maneira parecida com a primeira versão, mas sem aumentar o fluxo menstrual na mesma intensidade que o outro dispositivo. Já o DIU hormonal contém hormônio que, ao ser liberado no organismo, ajuda a impedir a gravidez. Em muitos casos, um dos efeitos colaterais é interromper a menstruação.

Quem pode usar o DIU?

Até aqui, já deu para entender que quando o DIU é colocado no organismo feminino, não precisa ser trocado por muitos anos, permanecendo como uma proteção no período fértil ou não. Mas será que esse método pode ser usado por todas? Existem contraindicações? Algumas condições não permitem que o DIU seja usado, como:

  • alergia ao cobre, devendo optar pela versão hormonal;
  • anormalidades na anatomia do útero, como miomas muito grandes;
  • tratamento de câncer de mama há pouco tempo, impedindo o uso da versão hormonal;
  • infecções ginecológicas, que impedem o uso do DIU até que estejam curadas;
  • gravidez, pois ele pode causar aborto.

Essas são apenas algumas das situações que impossibilitam o uso do DIU. Por isso, é importante sempre consultar um médico para avaliar as condições individuais de saúde antes de tomar uma decisão.

Como o DIU é colocado?

O DIU deve ser colocado no útero e, geralmente, o procedimento é bem simples. No entanto, antes disso, a paciente deve passar por consultas com o seu médico e fazer exames para descartar certas doenças ou possíveis anomalias na região onde o dispositivo será inserido.

Claro que, de acordo com cada situação e sensibilidade, pode ser que o processo cause certo desconforto ou dor. Com isso, alguns médicos podem optar por anestesiar a paciente. Depois de colocado, pode ser que por alguns meses a paciente sinta cólicas ou tenha sangramentos como efeitos colaterais.

Além do mais, existe a chance de o dispositivo se deslocar. Por isso, é importante não apenas se consultar com o médico antes, mas também, depois que o procedimento for feito. Por fim, o corpo da paciente também pode rejeitar o DIU, caso ele não seja posicionado corretamente, por exemplo.

Quais cuidados devem ser tomados antes de colocar o DIU?

colocar diu

Antes de colocar o DIU, a primeira providência que a paciente deve tomar é se consultar com um ginecologista, pois somente esse especialista poderá avaliar se ela tem condições ou não para usar esse método. Aliás, esse mesmo médico poderá solicitar alguns exames para constatar possíveis contraindicações.

A ultrassonografia transvaginal pode ser solicitada para avaliar a situação do útero e encontrar algum tipo de impedimento, como o mioma. Outro exame muito comum de ser feito nessa fase é o Papanicolau. Mas, como recomendação geral, é preciso seguir as instruções de cada médico.

Qual profissional está habilitado a colocar o DIU?

O procedimento para se colocar o DIU é bem simples e leva apenas alguns minutos, podendo ser com ou sem anestesia. Apesar de ser fácil e realizado somente após alguns exames importantes, não é qualquer profissional da saúde que pode fazê-lo, mas apenas um médico ginecologista.

Atualmente, para quem tem dúvidas de saúde, uma facilidade que já pode ser usada no Brasil é a telemedicina, que pode ser muito útil para um contato inicial entre paciente e médico. Então, não deixe de procurar um profissional sempre que necessário e aproveite a facilidade desse tipo de atendimento para tirar suas dúvidas antes de optar por um método contraceptivo, por exemplo.

Como vimos, o DIU oferece inúmeras vantagens como o baixo custo, alta eficiência e a comodidade de não precisar ser trocado por anos. Você teve as suas perguntas sobre se deve colocar DIU respondidas? Aproveite e deixe um comentário contando sobre a sua experiência ou tirando outras dúvidas sobre o tema!

Posts relacionados

Deixe um comentário